JUIZ AFASTADO ACUSADO DE PRECONCEITO CONTRA MULHER

 Bom dia, amadas e amados,
Sempre busco entender um pouco sobre o homem, não apenas sobre o homem do universo coletivo  das teorias cientificas, pois este  contém o todo ,e pela ciência lhe é permitido conter a mulher,  quando lá mais adiante seus ovários, útero, hormônios  e claro, seios como fontes de alimento, serão assuntos em  anexo, depois que a sensibilidade da Biologia se empolgou a ter este trabalho. Este homem coletivo,corpo explicado pela ciência, desmembrado para que as suas peças fisiológicas sejam percebidas, em suas funcionalidades, não é o homem que me surpreende!  A natureza é este homem  do corpo, e faz  bom trabalho enquanto ele dorme!
Falo do meu interesse, por um homem que tem os seus feitos deitados no travesseiro do acaso , para quando ele mesmo resolver pensar em si como um ser, e para que serve o ser depois que pensa,capaz ou não, de ser livre até do seu eu!
Não distante do que escrevi como acaso, para esta "escolha" de pensar sobre si mesmo, estão as implicantes atuações do todo social,no palco da natureza, cada ator no seu quadrado, que por serem distantes da escolha do homem único, recebem dele cargas de aviso, ao menor passo de aproximação que a natureza narrar :objeto invasor, objeto invasor,objeto invasor, objeto invasor, objeto invasor...
Este homem é aquele que é testado ,pelos roteiros da natureza, para a paz ou a guerra, a submissão ou a reação, a atitude de amar ou a de oprimir. Estar com ou estar contra,servir de exemplo ou seguir o exemplo.Abrir o seu modelo ou aceitar que o outro traga um novo modelo. Quem é o homem que não melhora a si mesmo quando pede aceitação do entendimento para com a opressão feita por outro "homem"?É um homem de paz ou de guerra silenciosa?
Eu sou mulher, e há muito tenho procurado por um homem que no seu todo , animal e espírito, permita a minha existência, livre dele e das suas ambições de sempre tentar ser o modelo. A liberdade desse tipo de homem  é tão falsa que o submete a nunca escolher, mas a voltar a ser apenas  a única coisa que ele quer.Nesse tipo de homem  só existe espaço para ele, vai escolher sugar  o que? Aceitar  a quem?
Minhas sinceras revoltas  são expressas e direcionadas às seis pessoas que votaram para o não afastamento do juiz machista, preconceituoso e, certamente, carente de atualizações:O mundo nunca foi masculino e nunca mais voltará a ser sem espaço para as mulheres, Senhores!
Veja a matéria que  eu  encontrei no blog  Direito e Trabalho.com, do Juiz Jorge Alberto Araujo http://direitoetrabalho.com/about/

CNJ afasta juiz acusado de preconceito contra mulher
Sentença contém declarações tidas como discriminatórias
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou, nesta terça-feira (9/11) por nove votos a seis, a disponibilidade compulsória do juiz Edilson Rodrigues, da Comarca de Sete Lagoas (MG).
Segundo informa a assessoria de imprensa do CNJ, em 2007, ao proferir sentença em processo que tratava de violência contra a mulher, o magistrado utilizou declarações discriminatórias de gênero, afirmando, por exemplo, que “o mundo é masculino e assim deve permanecer”.
Além da sentença, o magistrado também manifestou a mesma posição em seu blog na internet e em entrevistas à imprensa.
Além dos nove conselheiros que decidiram pela disponibilidade, os outros seis votaram pela censura ao magistrado e pela realização de teste para aferir sua sanidade mental.
A disponibilidade havia sido proposta no voto do relator do Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) 0005370-72.2009.2.00.0000, conselheiro Marcelo Neves, para quem esse tipo de conduta é incompatível com o exercício da magistratura.
A decisão do CNJ, passível de recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF), determina que o juiz de Sete Lagoas fique afastado do exercício da função por dois anos. Durante esse período ele receberá salário proporcional ao tempo de serviço. Após os dois anos poderá solicitar ao CNJ o retorno à magistratura.”
Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.