MEXEU COM ELE FOI?

Quando o cara é pequeno,
Destamaninho de alma,
Vai querendo ser gigante
Nalguma coisa que fala,
Entra como um navegante
Astúcia mais alta que a tara
Tange o vento em negritude
Deixa até a machitude
E mascara a terra amada

Falo de certo caboclo,
Bem metido a arroxado,
Que no blog de outro frouxo
Mexe com o meu honrado
Se intutula ser geógrafo
E morar no Paraná
Ai ai ai,cá cá cá cá
Mas o barro de tal terra
Nunca viu seus pés por lá
Ô Paraibaaaaaaa!
Estão negando o teu nome
Somente prá insultar...

Ah! Que feioso é ter inveja
Que despeito acabrunhado
Quem já viu o tal direito
De ser um aposentado
Ter algo com a vaidade
De um homem bem tratado?
É roubo fazer petição
Das coisas que se tem direito?
Roubo tem é neste chão
Onde só quem é babão
Pra querer ser caboclão
Lambe o bafo do prefeito!

Conhece quem?!
Coitadinho do "geógrafo"
Licenciado , sem lousar,
Quem quiser vá dar lição
Ser nordeste ao Paraná
Atravessando a  visão
zarolho da rosa dos ventos?
Seja homem, meu irmão!
Se não por adimiração
Ao homem da oposição
Seja homem por moral
Só prá ter educação...

Seja pela Geografia
Por fidelidade "mariana"
Por honrar a noite e o dia
Fanático do Pé de cana!!!



Conhece quem?!
Ai ai ai, cá cá cá cá
Nunca viu coisa mais linda
Nem em carne
Nem em resina
É de rir e gargalhar.
Ah, meu Deus que treva
Ele mexe por quer...
Mas leva, cacete leva!!!









Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

1 comentários:

  1. Cara Edilene, só hj li um comentário teu no blog do Celso Jardim, e agora este teu post, e fiquei extremamente decepcionado com insinuações a determinado “blogueiro geógrafo”. Lamento lhe informar, mas o geógrafo que vc se refere não usa de anonimato ou pseudônimo para criticar o Álvaro. Ele faz isso abertamente no blog.

    Na emotiva defesa de Álvaro, vc deve ter direcionado a sua insatisfação a esse outro geógrafo de forma incorreta e leviana por ele ser também um geógrafo, e atualmente acadêmico de história e funcionário público concursado. Esse outro geógrafo não deveria dar qualquer satisfação a vc, mas ele faz isso apenas para lhe preservar de situações vexatórias como essa, com julgamentos e insinuações descabidas.

    Não é a toa que só hj esse outro geógrafo lhe responde, mas bastante decepcionado, pois esse outro geógrafo tem um maior carinho por vc desde o tempo dos debates e conversas no ônibus escolar.

    Por fim, esse outro geógrafo lhe afirma com todas as letras, e garrafais, ELE NÃO UTILIZA DE ANONIMATO EM QUALQUER SITUAÇÃO. Se ainda restam dúvidas, peça ao Celso Jardim o IP do comentário, ele deve ter algum registro interno, pois este outro geógrafo lhe dará o IP para comparar. Esse outro geógrafo faz questão de comparar os IPs de identidade, por questão de justiça, ou, de injustiça cometida a este outro geógrafo, acusado por ser um geógrafo, não paranaense, e sim, paraibano.

    Fique na paz da consciência, como este outro geógrafo está. Não julgueis, para não ser julgada.

    ResponderExcluir

Faça o seu comentário.