AMEAÇA DE VOTOS FORA DE ÉPOCA

Hoje eu estava bem quietinha no meu trabalho, sossegadissima, quando chega por lá o senhor Severino dos Ramos, o popular Severino da Burrinha, primeiro buscando assunto sobre a sua saúde, o que de pronto e com bom tratamento o recebi. Logo depois ele me abordou  com uma pergunta um tanto que irônica, querendo saber se eu fui convidada para a festa de emancipação do município. Respondi que não preciso de convite, sou parte do corpo que faz a administração, por respeito ao meu trabalho sei que sou convidada.
Mais adiante o senhor Severino atacou-se de um repente e , perante algumas pessoas disse que o prefeito não queria nem saber de partido novo chegando ao município que não seja para coligar-se ao seu. Estranhei a afirmação do senhor Severino, por que primeiro de tudo nunca conheci Antônio Ribeiro mandando em mim, aliás parece que nem papai já mandou em mim...Ainda mais atrevido pediu-me R$ 20 mil reais para estar ao meu lado EITA veja mesmo o juizo que tem Severino da Burrrinha...Depois disse que estava me esperando nas urnas para me dar uma lapada de votos. Ele adiantou, por conta dele que é candidato, eu nunca disse a ele nem a ninguém que sou...Fazer o que,né? Uma coisa é quem entende de prazos legais, outra coisa é quem pensa que entende.
Respeito o senhor Antônio Ribeiro, e sei que ele não mandaria uma pilhéria dessa para o pé dos meus ouvidos, até por que ele também me conhece e quando quer tratar algo comigo  não manda recados,sua casa e seu gabinete ainda são receptivos e cordiais.
Estive na casa de Antônio e salientei mesmo a minha intenção de apresentar um novo partido a Sertãozinho, e não vejo mal algum nisso. Claro que Antônio tem a visão dele e a colocou para mim, mas terminou por entender a minha visão, se conformado ou não deu ar de riso ...Fazer o que? Eleitores são como filhos, depois que crescem tomam conta dos seus narizes...Ninguém é mal , feio ou errado só por que é livre. E isto não gera inimizades.
Adianto aqui que muitas fofocas surgirão, conversinhas de pé de pote, levantes dos mais diversos e com certeza recheados de intrigas. Coisas que eu dispenso, e que não preciso para sobreviver, por que se de um lado tenho amigos, do outro também tenho e não estou mesmo muito a fim de moer falta de respeito com ninguém. O tempo mostra quem é quem...
O presente é sábio quando entende que o futuro é calado, a única coisa que eu quero é respeito e respeitar, dentro do meu direito de observar os meus caminhos. Se" não cabe" partido novo em Sertãozinho, e se por detrás dos montes moverão obstáculos,   acaso não caberiam filiações novas em algumas legendas ?!... É simples assim! A única coisa que eu sei é que mesmo tendo amigos de um lado e de outro, eu não me decidiria na base do unidu ni tê, tão pouco pediria qualquer centavo ou  R$ 20 mil reais. Minha  cabeça é voltada para o lado moral da coisa. Posição e ideologia  não têm preço,são coisas de identidade. Sei muito bem enxergar afagos, propostas verdadeiras e coisas em comum.
Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.