GLÓRIA ALBUQUERQUE: PROFESSORA DE VIDA

 É claro que devemos muito do que somos a todas as pessoas que se utilizaram das muitas dedicações às  suas escolhas para fazer algo de bom ou ruim em nós. Prefiro lembrar das pessoas que me fizeram coisas boas, e a elas serei eternamente grata.
 Sabendo que o advogado Dr. George Albuquerque é leitor do nosso blog, quero dedicar a ele a satisfação de saber o quanto sou  inteiramente feliz, por que devo grandes bondades  à sua mãe, Dona Glória Albuquerque.
Devo à sua mãe,Dr.George, muito do que sei no campo da Enfermagem. Aliás, a sua mãe, muito corajosa confiou o próprio nome assinado, em uma declaração que ainda guardo com muito orgulho, na qual ela se  responsabilizava por todas as minhas atividades profissionais, por que fui aprovada em um concurso e corria o risco de não assumir o meu emprego, pois à data da minha aprovação  o PROFAE se atrasara em um mês para a  conclusão do nosso curso e, claro, da nossa formatura. Foi um mês certinho que me assegurou o direito à vaga. É grande demais uma responsabilidade dessa, e não viria de outra pessoa que não fosse tão humana, tão consciente da responsabilidade assumida para com a minha capacidade, só poderia vir da minha querida professora Glória Albuquerque.
Sabe o quanto ela cuidou de mim? Muito e com muito carinho. Nunca fui vaidosa, sempre fui a aluna mais corridinha, mais simples dentro das camisetinhas, dos cabelos alvoroçados, com uma pilha de livros dentro da bolsa ,  sem batom...Até que certa noite, já se aproximando a nossa formatura , Doutora Glória chegou com os profissionais que fariam as  nossas fotografias de formandos. Os homens trouxeram uma cadeira lindona que parecia uma cadeira de D.Pedro. Ela trouxe maquiagem e um brinco de brilhantes e ouro. Pintou o meu rosto e colocou os brincos nas minhas orelhas.Arrumou os meus cabelos, colocou a minha beca, ajeitou os meus ombros...foi prá longe , olhou e disse " -Sorria, você está linda!"
Horas depois, quando  eu já  estava em casa, tremi mais que vara verde, depois que passei a mão nas orelhas, por que descobri algo muito perigoso : os brincos dela ainda estavam comigo..." Meu Deus, e se eu perdesse esses brincos, do jeito que eu sou destabanada. Como que eu conseguiria pagar o valor deles?!..." Quando fui devolver os brincos, ela apenas sorriu, e disse que eu  poderia ficar  com eles ...Eu não quis os brincos, por que eram os brincos de uma rainha que eu sempre vou honrar. E nas minhas orelhas passariam pouco tempo,  eu já os  teria perdido sabe Deus em qual rua dessas  que eu tanto ando.
A sua mãe  foi a minha mãe em vários momentos da minha vida, e nunca esqueci  uma  frase que ela disse:
"Estude para a vida, por que quem estuda para a prova, esquece muito rápido o papel da sua missão".
Como a vida dá muitas voltas, hoje não tenho sua mãe ao meu lado, em minha rotina profissional. A missão dela para com a minha vida já foi cumprida. Tenho hoje,  como amiga  de trabalho e chefe de setor, Andréa Evaristo, a sua esposa, Dr.George, e não tem outra explicação para as escolhas de Deus: Os missionários, preparados pelo estudo da vida ,sempre se encontram, por que a obra do Altissímo não para!
 Por sinal, fazendo menção ao grupo dos missionários que ajeitam a minha simplicidade, dia desses Andréa chegou lá dentro da sala onde eu trabalho, com três cremes para os cabelos. Todos para mim.rs rs rs. Doida que eu abandone esses milhares de anos de elbaramalhismo, desses cachos tão loucos e jogados  ao vento. Usei uma única vez .Cala-te boca, doutor, não desanime Andrea. Dei um desses cremes para Rose, minha amiga de trabalho. O outro dei para tia Nenzinha que tem 76 anos ,mas  adora surpresinhas de vaidade, e o outro está ali ,na prateleira do banheiro...Sabe Deus quando ele acaba, por que ele tem o dom de lamber meus cachos e me deixa com aquela tremenda cara de quase pronta para as fotos.

Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.