AMIGAS EM VIAGENS ESPETACULARES

Dois carros levam a equipe do PSF para a Zona Rural, mas quando um dos motoristas precisa resolver algo, vai todo mundo no arroxadinho do mesmo carro. A viagem fica mais gostosa, por que quando estamos todos juntos não sei de onde danado a gente descola tanto assunto. Hoje foi um dia desses de carro arroxadinho, por que Val precisou viajar e lá fomos com Andréa pegando carona. Papo vai , papo vem, falávamos sobre  otorrino, por que eu quero ir a um deles,  em João Pessoa ( É, eu abusei da melhora e  fui ao vício : catuquei  o meu ouvido de novo  com o cotonete, e ele piorou). De otorrino, entrou telefone no meio do papo, por que Andréa inventou de  descobrir onde está um otorrino em Guarabira.  Ela resolve ligar para a secretaria da saúde para saber o telefone dos Médicos Assossiados que fica  em Guarabira , para saber se lá tem otorrino. Não consegue a ligação (celular  sem sinal) e ainda diz :
 - É demais, né? Cara, é demais...O tal do telefone é mesmo o bicho. É o máximo.Telefone é o máximo, e devemos isto ao tal Graham Bell.
E eu pensando: " Por que ela está comemorando tanto se não conseguiu ligar?"
 Milena bota mais uma coisa no meio,por que  nessas horas ela tem que ter uma opinião concorrente. Uma coisa para ela ,é uma coisa para ela:
- Ah, demais mesmo é a anestesia - ó só , puxando o saco da classe...he he he .Ela é dentista e deve essa a  Horace Wells  E para dar um fecho na sua opinião , pergunta : - Sem a anestesia  como trabalharíamos?
Meu ouvido doendo, carro quase sem sair do lugar e eu pensando " Qual relação tem  telefone e anestesia?!"  Pela manhã Milena demora um pouco  a fazer o vapor  das relações associativas.Não é fácil  para ela perder noites e mais noites de sono com Marina e pegar a estrada todos os dias de João Pessoa para Sertãozinho.
Eu ,que não gosto de deixá-las sem carboidrato,   claro que tinha que  colocar  massa  no papo, só para contrariar . Não estava  muito aí para essas viagens cientificas que elas fazem o favor de promover, bem na hora de uma tremenda dor de ouvido de alguém.  Eu só queria saber sobre o otorrino. Em plena estrada de barro , do sítio  Guabiraba, cheia de buracos para todos os lados,  e elas nesse moído da  peste! Mas, tudo bem,  eu aguento o barulho...Claro que eu não perderia o tempo de sacolejar mais o  fiat. Já que era para pular à distância e esquecer do ouvido dos outros, lá vai a minha opinião para encorpar o debate :
- Para mim, demais mesmo foi a invenção do  secador de cabelos.
Ah, para que eu falei isso?! Ô zuada da moléstia kkkkk.
Andreá e Milena juntas:
-Eu não acho ( Andréa)
-Ixiiii! nem se compara! ( Milena)
Andréa rebate ,violentamente,mais ainda surpresa:
-Secador de cabelos?! Ah, nem se compara. Secador é todo simples, muito menos complexo, só uma caixinha de plástico que tem bico e um treco rodando dentro para fazer vento...Não, não...Telefone é demais.
Eu :
É, telefone é demais mesmo, o cara aperta os números lá na casa de caramba e o bicho que a gente tem , que estava quieto,bota para nos chamar,entretanto...o secador de cabelos já casou um montão de mulheres que o telefone jamais casaria. O secador de cabelos escondeu as feinhas e  construiu muitas famílias, aumentou a mão de obra, contribuiu para formar cidades e cidadãos...blá blá blá.
Andréa que é muito vaidosa, termina se rendendo:
-Ah, isto é mesmo verdade kkkk
Andréa tentando o telefonema, enfim consegue, mas já com o secador substiutindo os valores de Graham Bell, não festejou.
Milena riu com o negócio do secador explicado como pai dos casamentos das feias. Parece que tinha acabado o papo, mas era uma trégua. Ainda tínhamos estrada pela frente.
Estava tudo  bem, Milena caladinha, mas  essa coisa de secador  fez com que ela , enquanto o  fiat  rebolava para fugir dos buracos da estrada de Guabiraba , olhasse  os postes que  surgiam na paisagem... Olha o salto que ela deu para complicar:
 Começou a zuada todinha de novo:
Andréa: - Graham Bell, só pode ter sido ele!
Hoje, decididamente, Andréa  queria  homengear Graham Bell. Meu Deus do céu!
Milena:
Ah, não!  Acho que foi algum Watt.Tem watts na conta da luz,. Se tem watts  na conta  da luz,  então esse  cara  foi o cara da  energia.Ah, foi algum Watt.
Eu não falei, mas pensei comigo: Seja lá quem foi que descobriu essa tal de energia,  ou não me disseram ou não lembro agora, mas  só pode ter começado esse chafurdinho todo de luz, lâmpada, ação, choque e apagão,  em algum par de olhos da Grécia! Toda humanidade deve muito ao  sexo, mas todo pensamento  tem  dívidas com  os  neurônios da Grécia!
Não sei quando o assunto sobre energia parou. Chegamos ao trabalho, falando sobre modelos de telefone. Falávamos  dos modelos mais antigos, daqueles que vimos nos filmes e nas novelas.Não me perguntem como  fazemos isso de mudar de assunto e fazer todas as mudanças render retrospectivas e retorno ao papo inicial. Eu nunca entendi muito bem esse jeito estranho que a gente tem de se dar bem.

Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.