BURACOS NAS RUAS PODEM DAR PROCESSOS A FAVOR DO POVO

Por quase oito anos, o bueiro aberto no meio da rua provocou muitos acidentes parecidos. Há poucos dias, a armadilha foi desativada, ganhou uma capa de asfalto. Mas era tarde demais para dona Maria, que não consegue mais fazer suas costuras e nem chegar ao andar de cima da própria casa.
Sem opção, ela resolveu exigir seus direitos na Justiça. Dona Maria ficou uma década lutando, fazendo perícias, apresentando laudos e documentos e participando de audiências. A sentença saiu no ano passado e ela vai receber uma indenização de R$ 25 mil.
Em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, um buraco de rua também surpreendeu o ferreiro João dos Reis. Ele recorreu à Justiça e a prefeitura da cidade terá que pagar pelo descuido. O ferreiro deve receber R$ 15 mil.
Como estes brasileiros, muitos outros, mesmo sem recursos, estão procurando a Justiça. O caminho pode ser longo e trabalhoso, mas com uma boa dose de razão e algumas provas, a sentença chega.
Quem ganha até três salários mínimos pode procurar assistência jurídica e acompanhar o processo de graça. Só no Estado de São Paulo, são quase 900 mil atendimentos por ano: 90% das reclamações viram ações.
É bom lembrar aqui, pessoal, que os danos materiais, tipo veículos quebrados, acidentes provocados por buracos e/outros fatores negativos da infra estrutura administrativa, não trabalhados para  o conforto e a segurança da população, podem dar em processos também.
fonte R7
Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.