COMERCIANTES DESTRATADAS E XINGADAS NA FESTA DE SÂO PEDRO EM BELÉM

 Quando as coisas têm que ser descobertas, é incrível,mas o Senhor do Destino lança todo o itinerário e  acabamos descobrindo.Hoje, por volta das 2:00 horas da manhã, eu estava curtindo o forró pé de serra, na rodoviária, ao lado de uma amiga e seus compadres que são de Sousa. Quando  perguntei se ela queria uma cerveja,  ela se decidiu por uma caipifruta. Lá fui eu comprar. 
Acontece que enquanto a mulher jogava as bolinhas de uva no liquidificador perguntei se ela estava gostando da festa, então a  comerciante da caipifruta disse que na primeira noite da festa  foi ruim e que ela não conseguiu o dinheiro para pagar R$ 200,00 reais à prefeitura, e que ao dizer ao senhor que estava a serviço da prefeitura ,buscando  esse tipo de tributo , tanto ela quanto outra senhora, da barraquinha vizinha à sua,  foram chamadas de RAPARIGAS, por ele.
A senhora ainda disse que no dia seguinte o cara voltou, diminuindo o imposto para R$ 150,00 , e pedindo desculpas pelas palavras que falou com ela. Tem justificativa um tratamento desse tipo? 
A outra senhora que também foi destratada, com medo de não conseguir o dinheiro, envergonhada e desgostosa, pegou a barraquinha dela e foi embora para a festa de Mari.
Essas raparigas, senhor equivocado, são mulheres que trabalham para sustentar filhos, enquanto um babaca igual você , bancando o dono do chão de Belém,  comete as suas grosserias. 
Solicito ao senhor prefeito que procure saber qual foi dos seus funcionários que andou cobrando a essas senhoras, que estavam instaladas nas imediações da rodoviária, e espero que exista a segunda via do talão de cobrança, com a assinatura do dito cujo.
É preciso arrecadar o dinheiro para pagar as bandas, bancar as rodadas do Whisky no seu camarote, prefeito ? Tudo bem, sabemos que é lícito, e sabemos que o senhor também tem o direito de brincar com os seus amigos,  mas não é necessário que um animal desse esteja xingando pessoas que buscam o  pão de cada dia.Se elas estivessem  acompanhadas por  um marido ou um filho,  talvez o seu funcionário tivesse sido mansinho. não teria sido tão "machão" !
Tenho absoluta certeza que o senhor não concorda com esse tipo de coisa. Nunca ouvi o senhor com palavrão, nem com cara feia, nem correndo com ninguém de Belém, por isso falo que o seu ponto mais positivo é a elegância.
Obs.: O caso é verdade. Resguardo o nome da mulher e o nome da sua barraquinha, por que a coitada disse que ano que vem ainda quer trabalhar aqui.

Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

2 comentários:

  1. os zaqueus do prefeitura estavam como verdadeiros encostos, como urubu buscando carniça e diziam, ameaçadoramente, em todas as barracas dos comerciantes que nao conseguiram lucro que a ordem do prefeito para cobrar a todos na primeira noite da festa mas tudo isto poderia ser organizado se o comerciante se inscrevesse e concorresse ao espaço para a sua barraca,antecipadamente, e pagasse a licença também antecipadamente, porém nem só de inteligentes é cercado o prefeito, mas de babões e "soldados" da grosseria. Salvam-se alguns no serviço público de Belém que conseguem fazer um bom comportamento.

    ResponderExcluir
  2. O whisky do Wilson Santiago custa um pouco mais,Edilene.

    ResponderExcluir

Faça o seu comentário.