É PRECISO SER MUITO MULHER PARA NÃO SE ILUDIR COM OS MACHISTAS


                                               Olga Benário

                                           Cesare Batistti


O Brasil  não deveria passar a vergonha de ir ao Tribunal Internacional de Justiça, localizado em Haia... Mas a Itália ,desrespeitada , não vai deixar barato o  sangue do seu povo ,e vai cobrar  honra às suas leis . O Lula é quem deveria sentar lá e explicar  todo o seu protecionismo ao conceder liberdade ao senhor Cesare  Batistti: Um assassino italiano, condenado à prisão perpétua na Itália,  que hoje dorme  sossegadamente livre, debaixo do céu brasileiro, por que o Lula foi bonzinho demais para este homem. Perguntem ao Lula, senhores e senhoras, por que ele se meteu a fazer bondade para este criminoso político e deixou o nosso país com cara de apaixonado pelo crime e não de apaixonado pelas leis que defendem a vida!
Tenho sentido no  meu coração que a senhora Dilma, tão consagrada pela sua verdadeira história de vida, pelas torturas que sofreu, deve lembrar que um dia o Brasil entregou Olga, uma mulher estrangeira, para a morte...Por que não entregar Batistti para a justiça do país dele já que no Brasil ninguém mais sabe, com exatidão, o que classifica um macho como bandido, nem sabe qual tipo de delito consegue ser julgado com total impessoalidade?
Olga saiu do Brasil em 1936 ,quando à época o presidente da República era o Senhor Getúlio Vargas, ídolo eternizado pelas suas bondades trabalhistas, conhecido como o pai dos pobres,mas em certo tempo amiguinho de Mussoline e Hitler ,minha gente. Depois , conhecido como o "santinho" que nos deu direito ao voto...Mulher votando...Era Vargas...Votando em quem? Em machos, meninas !
 Gostaria que todas as mulheres tivessem acesso à última carta de Olga Benário . A carta que Olga escreveu sabendo que iria morrer, emociona-me toda vez que a leio. É como se eu visse o tremor das mantas que  cobriam o rosto e o corpo de Olga, escondiam o seu choro, mas não abafavam o seu amor, a sua honra e o medo do seu coração...E mesmo assim, ela tentou deixar o marido com a imagem de uma mulher que morreria apaixonada por ele,  feliz com a vida que teve.  
Leiam, queridas. Leiam a carta de Olga, para não serem tão inocentes quando o assunto for coração de homem poderoso que exerce o poder sem olhar para a vida como o maior patrimônio que temos. Excetuando-se  os melhores homens, por que também estão em toda parte, poderemos entender mais de como sermos mulheres em eterna luta pelo respeito à nossa existência! 
                                                      Anita : a filha que Olga não viu crescer

Queridos:


Amanhã vou precisar de toda a minha força e de toda a minha vontade. Por isso, não posso pensar nas coisas que me torturam o coração, que são mais caras que a minha própria vida. E por isso me despeço de vocês agora. É totalmente impossível para mim imaginar, filha querida, que não voltarei a ver-te, que nunca mais voltarei a estreitar-te em meus braços ansiosos. Quisera poder pentear-te, fazer-te as tranças - ah, não, elas foram cortadas. Mas te fica melhor o cabelo solto, um pouco desalinhado. Antes de tudo, vou fazer-te forte. Deves andar de sandálias ou descalça, correr ao ar livre comigo. Sua avó, em princípio, não estará muito de acordo com isso, mas logo nos entenderemos muito bem. Deves respeitá-la e querê-la por toda a tua vida, como o teu pai e eu fazemos. Todas as manhãs faremos ginástica... Vês? Já volto a sonhar, como tantas noites, e esqueço que esta é a minha despedida. E agora, quando penso nisto de novo, a ideia de que nunca mais poderei estreitar teu corpinho cálido é para mim como a morte.
Carlos, querido, amado meu: terei que renunciar para sempre a tudo de bom que me destes? Conformar-me-ia, mesmo se não pudesse ter-te muito próximo, que teus olhos mais uma vez me olhassem. E queria ver teu sorriso. Quero-os a ambos, tanto, tanto. E estou tão agradecida à vida, por ela haver me dado a ambos. Mas o que eu gostaria era de poder viver um dia feliz, os três juntos, como milhares de vezes imaginei. Será possível que nunca verei o quanto orgulhoso e feliz te sentes por nossa filha?
Querida Anita, Meu querido marido, meu garoto: choro debaixo das mantas para que ninguém me ouça, pois parece que hoje as forças não conseguem alcançar-me para suportar algo tão terrível. É precisamente por isso que me esforço para despedir-me de vocês agora, para não ter que fazê-lo nas últimas e difíceis horas. Depois desta noite, quero viver para este futuro tão breve que me resta. De ti aprendi querido, o quanto significa a força de vontade, especialmente se emana de fontes como as nossas. Lutei pelo justo, pelo bom e pelo melhor do mundo. Prometo-te agora, ao despedir-me, que até o último instante não terão porque se envergonhar de mim. Quero que me entendam bem: preparar-me para a morte não significa que me renda, mas sim saber fazer-lhe frente quando ela chegue. Mas, no entanto, podem ainda acontecer tantas coisas... Até o último momento manter-me-ei firme e com vontade de viver. Agora vou dormir para ser mais forte amanhã.


Beijos pela última vez.
Olga."


Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.