ORLANDO SILVA NA MIRA DO INQUÉRITO ABERTO PELO SUPREMO


A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia determinou nesta terça-feira (25) a abertura de inquérito para investigar o envolvimento do ministro do Esporte, Orlando Silva, em suposto desvio de dinheiro público do programa Segundo Tempo, que visa incentivar a prática esportiva entre crianças e adolescentes.
Cármen Lúcia também requisitou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a remessa em 48 horas ao Supremo do inquérito a respeito de possíveis irregularidades cometidas pelo atual governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), quando era ministro do Esporte.
Quando o inquérito do STJ chegar ao Supremo, será remetido ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que vai verificar se há conexão entre os dois inquéritos antes de decidir se as investigações devem tramitar em conjunto.
"O fato de começar as investigações não significa que vão ter prosseguimento. Depende do que a Procuradoria Geral da República vai encontrar a partir de agora", disse Cármen Lúcia.
Do G1
Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

1 comentários:

  1. Enquanto isso no Parana, o nosso governador Playboy quer cobrar pedágio por quilômetro rodado. Isso demonstra a imbecilidde desse moleque que não entende nada de administração pública. Quem mais transita em rodovias são aqueles que dependem dela para o seu trabalho. Os caminhões que transportam cargas e as empresas de ônibus de passageiros, serão os grandes prejudicados com essa decisão e, a despesa será repassada obrigatoriamente ao preço dos produtos, encarecendo ainda mais o custo de vida. O transporte profissional pagará pelo transporte de passeio pesando no bolso do contribuinte. Imaginem o custo disso para essas empresas. O transporte de grãos, por ocasião da safra será de tal monta encarecido que poderá se tornar proibitivo até o Porto de Paranaguá, que escoa para fora do País, um dos maiores volumes de comodity do mundo. Incompetente, imbecil, mas, inteligente para defender interesses de concessionárias de pedágio.

    ResponderExcluir

Faça o seu comentário.