É ASSIM QUE SE FALA DE UM HOMEM...EU AINDA VOU ESCREVER SOBRE VOCÊ

  Bem,  querido(a) visitante, seu sexo não me interessa, sua cor é coisa que botaram na sua pele, e suas crenças podem ser bem diferentes das minhas, mas sei que você pode estar no time das pessoas  que buscam uma luz, uma palavra certeira. Como quem caminha a fim de encontrar um velho sábio que mora no pico da montanha e que nunca errou uma profecia.
Vou logo avisando que eu não sei de nada, apenas nasci para gostar de escrever, mas  você sabe o motivo que faz de você  necessitado(a) da palavra que rejuvenesce as suas canelas e que coloca cor nos seus sonhos, mesmo depois de subir  montanhas e mais montanhas e não dar de cara com o velho sábio, você ainda tem esperança. Calma, por que o  sobe e desce pode estar só começando...As decisões que permitem a caminhada dos seus sonhos pedem  mais que este pequeno esforço que você já fez e que julga enorme.
Geralmente os conselheiros começam por " Você deve" e terminam com " não desista", mas eu quero começar com  " Receba o espelho" e terminar com  "Agora olhe para você".Como eu não sou o velho, e não ouso as profecias, prefiro que você olhe o espelho e logo se veja tão teimoso(a) quanto esse homem


Ele viveu lá na terra dos olhinhos espichados, naquele lugar que chamam Tóquio. Pois, é...O cara pegou a grana que tinha ,abriu uma oficina, trabalhou noite e dia em um projeto  que foi ficando cada vez mais caro e que exigiu dele  até ter que passar a lábia na esposa, para que o dinheiro da penhora das jóias dela entrasse no negócio também´.  Já viu empreendedor com pouca conversa?! (Ôs bexiguentos para convencer mexidas nos tesouros dos outros, meu Deus! ) Mulher, quando  ama o homem,  é bicho besta mesmo: a esposa  deixou as jóias entrar no bolso do marido empreendedor.
Mais dinheiro no bolso e mais um tempo de trabalho , foi feito o engenho  que ele queria fazer .Lá se foi o cara,  mostrar o seu trabalho a uma empresa que não achou que a coisa era grande coisa. O sonho deu em nada , e lá se foram também  as jóias da bestinha, né? Ô dia ruim é o dia que recebemos um não e vemos o nosso sonho caído no chão, ainda mais quando botamos até as economias dos outros no meio do balaio...Mas, tudo bem,os que acreditam nos próprios pés sabem que mesmo depois de um não, ainda há chances de caminhar, afinal outras montanhas existem para serem escaladas. Isso de um não é  só  a porcaria de um não...Debaixo de toda porcaria tem um solo fértil (esta frase é minha, mas pode usá-la quantas vezes você quiser), e só os teimosos e vencedores enxergam isso, sabia? O cara entendeu o porquê desse projeto ter sido rejeitado: A empresa não era chata , ele é que precisava estudar mais, para conseguir fazer algo mais convincente, algo mais necessário. Ops! Alerta do Blog Olho de Mulher: Os perdedores espreitam para apontar  culpados para os seus fracassos e, são orgulhosos e  fincam o pé na arrogância. Os vencedores se policiam , se melhoram cada vez mais, e caminham com humildade. Péra ô, a pessoa não pode nem dar um sinal de alerta?!...Vou continuar...Afff como você é apressado(a)!
Oxent! Paramos na percepção do cara , estudar mais,né? Quem já viu teimoso demorar a continuar?! O homem voltou ligeirinho demais aos estudos ( eu adoraria saber que você sempre tira um tempo para aprender e  amaria vê-lo(a) estudar. Mesmo que você ache que já está munido(a) de ações , mesmo que jure e bata o pé  que as ações  são mais importantes que o discurso, pense que o discurso escrito ou ouvido esconde coisas que você precisa ficar sabendo para fazer ações ainda melhores que todas as que você já fez).Ai! Para ô:  não me belisque...Volto sim à história do Japinha. Pronto:  Lá na escola, papo vai, papo vem, não demorou a galera da classe e até os professores  tomarem a iniciativa de  zombar do cara. O cara era diferente, sonhador, tinha a cabeça longe da "realidade"...Sonhava com coisas mirabolantes para tal época em que ele e o restante das pessoas do mundo viviam . Foi chamado de doido, falador de besteiras, enrolão e amostrado. Esses são os termos que os "ajuizados", verdadeiros estáveis atrasados , mais utilizam para atacar os destacados visionários. Os alunos e os professores  riram, criticaram, desceram o cacete do pessimismo, mas o cara deu de ombros para eles, pois sabia que eles amavam o passado e desacreditavam que o futuro começa no hoje de todo sonhador. O cara se dedicou aos estudos por dois anos, ficou preparadissímo. Dessa vez a empresa viu o seu projeto e disse sim. Ele montou uma indústria, mas começou a tal 2ª  Guerra Mundial que bombardeou a indústria dele  duas vezes, acabando com ela quase toda...O teimoso reergueu o prédio e continou o seu trabalho, mas veio o terremoto e dessa vez...O cara perdeu tudo.
Passando a guerra , uma nova realidade : o  empobrecimento do campo e, consecutivamente, das mesas de todos daquele lugar onde o cara morava. E o pouco de tudo que sobrou depois da guerra foi acabando, assim chegou também o dia em que não havia mais gasolina , e foi aí que o bicho pegou, por que os alimentos estavam muito longe daquelas pessoas : do teimoso, da sua esposa  e dos seus vizinhos.Você já viu teimoso morrer de fome? Só quando faz greve das tripas...Mas este da nossa história queria comer. A fome arrochou o destino desse cara. Ele  passou a mão num motor, parafuso daqui e arrochos de acolá ...Colocou o motor em uma bicicleta que o levaria bem mais rápido ao local onde estavam os alimentos. Ih, o pessoal viu aquela bicicleta e quem ainda  tinha uma grana ou objeto que valesse boa troca queria uma bicicleta igual aquela, para também  chegar mais rápido aos alimentos...Mas como ele iria conseguir fazer as bicilcetas se ele não tinha mais dinheiro, nem as jóias da esposa e nem a  indústria? O jeito foi pedir ajuda às lojas. Foi assim que 5 mil lojas do Japão cairam na lábia do cara, dando-lhe o capital inicial para fazer bicicletas motorizadas. Imaginem o quanto significavam, para quem começou com a ajuda das jóias de uma esposa apaixonada, 5 mil empresas  acreditando no homem que parecia ser o mais azarado  de Tóquio. Pois é, a verdade é que não estamos falando de sorte ou azar: este homem certamente falou aos lojistas  com aquele mesmo entusiasmo que que a sua voz tinha quando ele estava na sala de aula. Ele  sabia falar sobre o seu sonho e nunca desacreditou do seu potencial, o que fez a diferença foi , aí sim entra o azar e a sorte, primeiro convocar azarados para ouvi-lo. Azarados não enxergam nada,  e por isto ele foi  zombado. Mas depois encontrar sortudos que conseguiam ver o futuro...  Foi esta grande oportunidade que ele recebeu dos sortudos que fez com que a Honda atravessasse o mundo e trouxesse para todos as motocicletas e os carros " mais suados" que um teimoso poderia blindar com o esforço  do estudo, sem perder a esperança , aproveitando o tempo certo, mas sobretudo atravessando os pessimistas e as desgraças.
Viu? Até debaixo da porcaria da guerra  existe um solo fértil  esperando por pessoas que têm coragem de plantar a semente dos seus sonhos.
Esta é a história de Soichiro Honda. Um cara que nunca abandonou a humildade, nunca participou  de reuniões importantes da  empresa que presidiu, nunca perambulou pela matriz da Honda se exibindo como o Grande Cara...Ele ficava enfiado nas pesquisas , para fazer veículos  cada vez melhores.Que lindo  espelho!
 Esqueça tudo e todos  que falam contra os seus sonhos. Se você é bom, faça um esforço para se tornar excelente. Faça o seu futuro agora. Eu  terei muito prazer em escrever a sua história.
Ah, e não reclame...Eu não gosto de escrever pouco, e nunca vi gente que aprende muito lendo pouco...Pode ir lendo, para estudar mais e ficar preparado(a)
Você não é fraco(a) e não é pequeno(a). Respire isto.
Agora olhe para você!


·
Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

2 comentários:

  1. Marcela Santos - Salvador - BA disse :
    Marcela Santos -Salvador -BA
    Sou leitora viciada no seu blog. Estão cada vez melhores os seus artigos. Você parece ver o que escreve e também o faz com tanta emotividade que eu acho que você escreve para uma pessoa muito especial.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo elogio , Marcela.
    E parabéns pela percepção. É verdade, sim. Quando escrevo eu viajo para um mundo onde vejo o que preciso trazer para a escrita. E sim, escrevo para o mundo inteiro, mas existe uma pessoa especial que comanda a primeira pessoa para a visão da minha escrita. É como se eu estivesse falando com ele...Mas o bichinho anda ocupado demais com o seu sonho, e esse ano , só de "castigo" eu o deixei sem Feliz Aniversário,o deixei procurando por empresas, por outras pessoas...Por que a penhora das minhas letras não são para quando eu quero, mas para quando ele precisar...
    Obrigada pela visita. Boas Festas.

    ResponderExcluir

Faça o seu comentário.