EMENDA CONSTITUCIONAL 66 ELEVA O NÚMERO DE DIVÓRCIOS




Antes da emenda constitucional 66, os casais tinham que estar separados judicialmente há um ano ou separados de fato há dois anos, para ´conseguirem o divórcio, o que facilitava e muito a reconciliação dos casais, pois o tempo provocava  solidão, saudade, arrependimento e perdão...Isto se a situação ainda estava  a dois. Com  a existência da terceira pessoa ,aquele que partia  para outro ninho onde não sentiria solidão alguma, dificilmente pensaria em estou de volta pro meu aconchego.
Atualmente quem  está vivendo um relacionamento fragilizado pela rotina , pela  falta de amor, ou outras miudezas que servem como combustível para a paixão, que  cuide de se precaver a favor da continuação do  relacionamento, e vá arranjando novos temperos para o convívio, pois o descontente mais decidido  poderá pedir o divórcio sem precisar esperar um ano ou dois. A facilidade é ainda maior para os casais que não têm filhos menores ou incapazes, pois a Lei 11.441/07 permite a estes lavrarem escritura de divórcio, nos cartórios de notas, desde 2007. Esta lei  permitiu a realização de divórcios consensuais em cartório, sem precisar de ação judicial, e se transformou num instrumento mais rápido, sendo  bastante o casal estipular as questões relativas à partilha dos bens, ao pagamento ou dispensa de pensão alimentícia e à definição quanto ao uso do nome se um dos cônjuges tiver adotado o sobrenome do outro.

Pois é... Não é nada facinho  encontrarmos alguém que tenha atributos que nos faça  começar a vida a dois com paciência, esforço, trabalho e muito MEU BEM na boca .  Fácil mesmo é  duas vidas lançadas aos mistérios do mesmo teto, logo após a digestão de alguns quilos de sal,  chegarem  ao mapeamento das diferenças, instalar  o desânimo, reconhecer o desamor e terminarem tudo com desafeto,indiferença , insatisfações ou muita aparência de que está tudo bem. Se a coisa chegar ao ponto do não dá mais para segurar, chegará o tempo da    frase  MEUS BENS pra cá, TEUS BENS para acolá.
 A emenda constitucional 66 tem ajudado a despedida  das escovas de dentes, CD's,  posters de times,  a divisão das terras, casas, apartamentos e sabe-se lá quantos baldes e panelas ficam insignificantes ou não na hora do adeus; quantas meias e cuecas  furadas que dormiram esquecidas na gaveta pulam rapidinho para a lixeira na hora do estou indo, calçolas esgarçadas e camisolas com renda rasgada surgem no poeira do dia D, e certamente  não farão mais parte da desatenção da mulher que nem percebia que as usava ao lado do maridão.
Depois da EC 66 o número de divórcios em SP, no ano 2011, subiu quase 50%, facilitando o recomeço da solteirice para duas pessoas que não querem mais o mesmo teto como morada, e tomara que traga novos tempos e  novos amores, por que a felicidade só não existe para quem acredita que a vida parou no ponto da insatisfação mórbida ou para quem acha   que a vida é assim mesmo, é para se viver ao lado de alguém com quem casou ,mesmo que este alguém não provoque mais  vontade de  beijos, abraços e muito carinho.
.

Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.