A FARRA DAS CAMISETAS JÁ NÃO ESTÁ MAIS FAZENDO TANTO EFEITO




A farra das camisetas parece não ter funcionado da última vez...Dado o costume de atirar com a pólvora alheia, fazendo camiseta para todos os momentos em que apela  por  atenção, bolando uma maneira de  reunir pessoas, a pré-candidata a prefeita de Sertãozinho,  Márcia Mousinho,  teve que encarar o louvor a Deus separado dos seus planos políticos. Não adiantou tentar  armar a ceninha de marketing político no salão do  templo! A casa de Deus é lugar de orações e não das tapiações.com  servidores encamisetados, com a foto da campanha da Fraternidade nos peitos. Se a intenção era ser citada como atenciosa à campanha da  Fraternidade, não colou...Não funcionou.

Erro crasso de Márcia Mousinho! O  chute não passou nem perto da  traveeeeeeeeeeee. Sete anos para ser fraterna e, só em ano político a mocinha se traja e traja os outros com uma imagem da igreja? Affffffff! Como está ruim de disputar com Geraldo ! O velhinho realmente vive na igreja e , por este motivo, o povo está quase vendo a mulher virar freira ou subir a serra de Frei Damião de joelhos. Eu sempre disse  e também escuto o povo dizer que disputar com o velhinho dá trabalho!!!
                         A LÓGICA DO CONTEXTO
 Se também era o  dia  da Mentira , antes a senhora Márcia  tivesse investido o dinheiro público em  camisetas que tivessem a estampa de Pinóquio e, quem sabe ter  ido brincar (durante o dia) de interesses políticos,  dentro do ginásio, tivesse sido uma idéia melhor. Presenteando os servidores da saúde com bonecos de madeira, pequenos pinóquios, talvez  tivesse conseguido levar o seu nome a ser comentado como senhora que  confessa as suas fraquezas aos homens. Os servidores que trabalham sem receber seus direitos na íntegra, trabalham para o bem, em troca do pão, eles   é que são fraternos sim. São eles  que  verdadeiramente carregam a cruz nas costas, enquanto as fraternas gratificações gordas são para apenas alguns...Que trabalham pouco e babam muito.
Fraternidade? Uai...Onde estava esta palavra quando tantos doentes do município foram simplesmente deixados de lado, esquecidos em hospitais distantes, sem carinho e sem atenção de quem se diz fraterna e solidária? Onde estava a palavrinha humanização quando alguns familiares não receberam apoio e carinho vendo seus entes sofrendo dores,abandono , descaso e em algumas situações chegarem  a óbito? Infelizmente...Esses pacientes não eram mais da alçada dos servidores da saúde de Sertãozinho, mas da secretária da saúde eram sim. E quem é parente ou paciente que passou por algumas dessas situações sabe muito bem que eu nem aumento nem invento o que desabafo!
Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.