É de lascar, mas é verdade: Rico pode quase tudo e pobre se ferra!

Você sabe quem é o advogado do Senhor Carlinhos Cachoeira? Márcio Thomaz Bastos : bem fraquinho, para não dizer o contrário.
Pois é,senhoras e senhores, o contraventor mais famoso do Brasil está bem de advogado,heim!
Márcio Thomaz Bastos já foi ministro da justiça,indicado por Luís Inácio Lula da Silva...Sabe quem o Márcio também  já  defendeu?Aquele médico que perturbava as suas pacientes, de forma abusiva sexualmente, quando elas estavam sob efeitos de medicamentos  psicotrópicos, completamente vulneráveis e indefesas, sem condições de rejeitar os toques das mãos malignas de um  homem que jurou defender a vida ..Pois é,aquele tal de Roger Abdelmassih. O bambambam especializado em reprodução humana , condenado a 278 anos de prisão,mas que até agora está livre,leve e solto : foragido, rico e feliz.
Márcio Thomaz Bastos,o advogado do senhor Carlinhos Cachoeira é competente até demais. Seu nome figura como principal no plebiscito do desarmamento. Trabalhou no caso do assassinato de Chico Mendes, como acusador dos assassinos. Defendeu os estudantes que afogaram um amigo na piscina, e também defendeu os estudantes que mataram o índio Pataxó.  É um figurão do Direito, acostumado a atuar em casos polêmicos que chamam a atenção da sociedade.
A  presença De Márcio Thomaz Bastos na CPI  arrefeceu os ânimos de alguns parlamentares que estavam com sede demais de juntar água do Cachoeira...Viram um gigante do Direito ao lado do homem que apenas dizia que ficaria calado, por direito constitucional.
Por que o ex-ministro da justiça resolveu fazer a defesa de Carlinhos Cachoeira ? Será que tem quem acredite que foi para fazer caridade a um pobre coitado?  Há algum grupo de pessoas que acredita que  a intenção do Márcio é  frustrar parlamentares que se julgam sábios e íntegros demais ? Márcio estaria mostrando para a PF que houve ilegalidade   quanto ao  método utilizado  nas investigações? Parece que o grampo durou muito tempo, sob  várias renovações consentidas pela justiça...
Homens da lei sentem-se empolgados quando algo desvirtua a totalidade da  acusação do  crime ,impossibilita  tornar o réu indefensável , principalmente quando, partindo da própria justiça,  há algo ilegal aferindo imperícia. Estas "falhas" chamarão à Acrópole os mais observadores guardiães da isonomia, com   debates dos mais emocionantes... Popularmente chamadas de brechas para  a defesa, os deslizes legais serão  itinerários para o enfrentamento dos melhores estudiosos da lei. A sede de enfrentar  saber com saberes não  limita  as ações do homem a  serem caractertizadas apenas  como favores sociais, mas faz com que elas abram  fronteiras acima dos horizontes da  Filosofia: O homem  assume seu papel de sujeito, seja para defender ou para acusar. É um indivíduo apto a fazer suas escolhas, está sempre em caminhada e ,sobretudo, curioso por descobrir-se em  novas atuações: Do lado do bem ou do lado do mal.
Trocando em miúdos, e deixando o Márcio Thomaz Bastos como indivíduo muito bem analisado, tanto no trato social quanto no filosófico, vamos ao modo popular , curto e grosso, que resume o   nosso Brasil: país onde todos sabem que o Direito é igual para todos...Igualzinho, para não dizer o contrário. Fosse um pobre infeliz que estivesse dormindo no  complexo penitenciário da  Papuda, com as costelas prestes a serem vazadas pelas  garras do Senado ,será que   veríamos  o Bastos, que iniciou a sua carreira defendendo pobres e oprimidos (quase mil casos gratuitos)  baixando  na CPI ?

 Vazem o nosso senso crítico com um murro, mas com mentiras ou  sonhos dantescos jamais!
Edilene Amaral

Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.