O descaramento em relação ao concurso público de Belém


Queridos e Queridas .
   
Adoro saber que vocês chegam ao Olho de Mulher para receber uma dosagem de colírio.  Quando o assunto aqui em Belém é  concurso , não tem outro fundo musical,  é como aquele fragmento da música da Banda  Cheiro de Menina " Eu nunca vi nada dar certo começando errado". 
         Acabo de ler no site da prefeitura de Belém  que o prefeito Roberto Flávio esteve no microfone da Rádio Rural, esclarecendo o caso do concurso que nunca aconteceu, e que até hoje não devolveu o dinheiro dos inscritos. Disse o prefeito que o dinheiro está em uma conta do Bradesco(deveria expor o número da conta e o extrato, já que transparência não faz mal à administração) e que pedirá o cancelamento do concurso que está sob judice, para devolver o dinheiro. Coisa que não fez anteriormente, segundo ele,  para não afastar do concurso, caso a justiça resolvesse que este seria realizado, as pessoas que recebessem o dinheiro. Primeiro devemos levar em conta que a galera anda dizendo que  a mesma empresa desse tal dinheiro não devolvido é a mesma que está envolvida no concurso que agora tem inscrições abertas. A pergunta é: Por que não houve o direito de transferência do inscrito no concurso anterior para o novo concurso já que ele tem dinheiro depositado? Falta de lei, falta de organização ou empurra com a barriga que a coisa cola? Oxent! Foi tanto tempo com o  dinheiro em conta...Deveriam ter pensado em algo que automaticamente desse direito aos antigos inscritos a participarem do novo concurso, mesmo que fosse  concorrendo a outro tipo de cargo, por que decisão de concorrente pode mudar, caso isto seja concedido em magum item do edital. Além disso, por que ser sensível a não desclassificar alguém em um caso passado e frustrado, e não ser sensível a otimizar a nova e justa oportunidade para quem já teve um gasto com um "produto" que não chegou? .
Outra pergunta: O valor será devolvido com correção? É, meus amigos, por que grana parada no bolso perde o valor, mas grana em banco parece ter um trato diferenciado.
Outra coisa muito estranha é que o edital do novo concurso já foi republicado, e traz algo que chamou muito a minha  atenção . Os cargos que têm a sigla GP são para atuação no gabinete do prefeito, o que fere a privacidade de qualquer futuro gestor no tocante à planejamento de gerência, pois, em detrimento de tal fato, estamos falando em CARGO DE CONFIANÇA pré- estabelecido. Vejamos pelo lado concreto da administração pública. Os cargos de confiança podem ser nomeados pelo executivo e, tanto podem ser ocupados por peritos contratados quanto  podem ser ocupados pelos competentes concursados que fazem parte do corpo administrativo, mas  não devem ser fixados, pois, poderiam   favorecer a cientela de outrem que já está prestes a deixar ou que já deixou  o cargo executivo. Ou seja, não se pode fazer cargo de confiança  fixo,  pertecente ao sequaz do antecessor . Será   que Roberto Flávio torce conseguir, ainda que através de concurso,  deixar plantada como ESPIÃ ,no gabinete do novo gestor ou gestora ,uma clientela que o admira?!.
 O mais grave é que, para o cargo de assessor jurídico, o edital foi republicado com um texto muito bonzinho. Antes eram 3 vagas para quem tem curso superior em Direito e mais inscrição na OAB. Agora é uma vaga  e basta a pessoa ter o curso médio mais  noções de informática. Resumindo? Alguém  que ainda não concluiu o curso de Direito,  ou que o tem mas não passou na prova da  OAB, foi protegido pelo novo texto do edital republicado...E quem seria este alguém? Quem será a pessoa que Roberto adoraria que passasse neste concurso para ficar como pulga  no cós do novo gestor ou da nova gestora? 
É  INCONSTITUCIONAL criar cargo de confiança fixo para o gabinete do executivo? Creio que sim, amigos e amigas. Qual prefeito se sentiria à vontade diante de alguém que vai se achar o ó do borogodó , só porque está em seu gabinete garantido por concurso, sem ter sido conclamado a fazer parte das relações de confiança que todo gestor precisa para uma atuação mais tranquila?
 O cargo de assessor  jurídico  deve pertencer ao elenco das secretarias da prefeitura, e não especificamente  ao gabinete do prefeito. Caso seja do interesse do novo gestor indicar tal concursado para trabalhar ao seu lado ele o fará , podendo  reconduzir tal servidor à sua secretária de origem a qualquer momento em que   o gestor entenda que assim deve ser feito.
Infelizmente a oposição de Belém ou não tem preparo legislativo, ou não tem disposição para ler, interpretar e principlamente preocupação de comparar os textos da CF de 1988 com as idiossincrasias praticadas neste novo concurso de Belém.
 Belém, Belém, Belém, sino do tengo telengo tengo maninha... é de carrapicho, joga o povo de casa na lata do lixo. Devido a tantos abusos , esta terra passou a ser  terra de ninguém,  só manda quem tem dinheiro.Aqui quem é de fora, mas tran´sfere os votos da família toda para cá consegue emprego bom e protecionismo .
Um bando de pessoas estranhas tomaram conta desta cidade. Felizes são os belenenses que têm aproximação com as servidoras de fora  que são educadas e prestam serviços com respeito e  por amor.Mas coitadas das pessoas que convivem ou necessitam tratar com  as que humilham, na dura sorte,  os" pequenos" , os servidores e os usuários do serviço público. As pessoas mal educadas  falam como bem entendem com o povo. Mas, é isto , galera do bem,  como  são pessoas que transferiram titulos eleitorais de familiares para mudarem a história desta terra, mereceram até títuilos de cidadãs belenenses e ...Agora irão encontrar às bênçãos do concurso público, pois já andam dizendo: " Ah! Que prefeito maravilhoso, só ele para fazer isto conosco."

É pau de jatobá, meu irmão, minha irmã de Belém...Mas a culpa não é de Roberto não, muito menos de quem conquistou a sua confiança. É de uma oposição que vive como uma mosca morta, uma oposição que ocupa a câmara com tome lá a lapa de incapacidade e o pior: com muito medo de atuar!
Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.