Cheque sem fundos vira corrida ao ouro em Belém por entenderem que compromete a imagem de uma candidata




Cada um que se limpe mais, porém, que se assuma sempre!


Amados e Amadas, Boa tarde para todos!

Edilene no Blog!

Esta postagem é da minha inteira responsabilidade.
Durante esta semana chegou-me aos ouvidos várias pessoas com a noticia de que um cheque de uma pessoa de Sertãozinho está em mãos de um negociante da cidade de Belém-PB, um cheque sem fundos, não pago pelos motivos 11 e 12. O que significa, de acordo com a classificação do Banco Central do Brasil,  que é um cheque apresentado por duas vezes e que, por falta de provisão de fundos, o negociante não recebeu a quantia especificada no cheque. O rapaz procurou a pessoa e foi destratado, Agora ele está sendo procurado?
O que me faz postar tal noticia é para ver se consigo abater a busca e a oferta de um cheque , pois,  o querem só  para a fabricação de uma imagem perfeita demais para uma pessoa que  criticou várias vezes pessoas  endividadas e pulou de alegria quando ouviu a noticia que um homem público  do município teve suas  contas reprovadas, mas sobretudo minha maior intenção é  que o dinheiro público seja deixado em  seu devido lugar, ou usado para os motivos que comprazem a legalidade da prestação de serviços que  providenciam o bem estar do povo. O problema individual ,de quem quer que seja, com trato diferenciado que não é abordado por lei,  não pertence à responsabilidade da administração. Logo cada um  deve ser responsável por suas contas , eiras e beiras, fortalezas, belezas e fraquezas!
 Também não tenho a intenção  de ferir a imagem da pessoa, dado o fato que qualquer um de nós está sujeito a ter contas pendentes, nomes no serasa ou no SPC,  no mercadinho, nos caderninhos dos amigos, no armarinho, ou em qualquer outro comércio, caso estejamos com problemas financeiros. Eu, por exemplo,  devo que só a peste. Falto pouco correr doida com moléstia de conta e depois que o meu salarinho deu a gota serena pra sofrer descontos, qualquer dia e qualquer hora a Aymoré vem pegar minha motinha envenenada, porque a Aymoré mandou minha conta para uma empresa dura de coração que  não quer aceitar acordo da divida não, sabe?! E onde eu vou descolar 2 mil de uma patacada só se nem no jogo do bicho eu joguei mais?! Tou ferrada!!!
O que me faz postar tal artigo é para que não seja gasto nenhum dinheiro para o resgate de tal cheque, tão pouco sejam oferecidas vantagens a qualquer pessoa que consiga o cheque, até por que não é mais segredo, a galera já sabe do lance e já comenta em Sertãozinho e em Belém também. 
Qualquer tentativa de processo contra mim é mera bobagem. Eu nunca mato a cobra sem guardar o pau para mostrar a quem de fato se interessar pelo assunto.  Guardem o dinheiro para comprar outras coisas. Tem muita gente precisando de pão sem circo, e gente que quer ver a cara da pessoa como a pessoa é. Sem essa de santidade e muita mentira! E sem desculpas esfarrapadas, claro!
O fato de não ter colocado o nome da pessoa aqui não signiifica medo, é que eu ainda  guardo certo respeito até por quem me deseja o mal. Eu queria apenas dizer a esta pessoa que, se antes não teve condições de resgatar o cheque compreendo sua situação, porém , resgatar este caramba agora  por motivos eleitoreiros e, muito possivelmente, usando o  dinheiro público, usando mandantes com parentesco, e  que se oferecem como pagadores " nada intencionados"  é pedir para que o mundo todo seja feito por  gente tonta!



Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.