TUF Brasil: A noite de Rony Jason e Cesar Mutante

                                         
        
É assim que o Jason entra para lutar. Abaixo, ele sem a máscara




É, estou sentindo que o Rony Jason vai ser o mais queridinho  da mulherada.Vai ser o Ayrton Senna dos socos e pontapés. O cara tem pinta de galã,jeito de menino humilde e ainda por cima luta muito e usa essa máscara que chama atenção O Jason é o preferido da minha mãe. Ela quando gosta gosta, mas quando "odilhaaaaaaaa".Descobri que a mamusca tem até o facebook do cara.  Assistir luta com a minha mãe sentada no mesmo sofá, é simplesmente pra descer do paraíso. Ela não apenas torce pelo lutador preferido, ela  fica querendo bater no lutador adversário. Não entende nada dos golpes e fica perguntando tudo,mas tem sorte de apontar vencedor.
 O TUF Brasil começou com tudo. Assim como acontece nos Estados Unidos, o capítulo de estreia contou com nada menos que 16 lutas para definir quem seriam os participantes da casa. Nesses combates iniciais, foram quatro nocautes, cinco finalizações e sete decisões dos juízes.Acabou de uma bela maneira a primeira edição do reality show The Ultimate Fighter Brasil. A torcida lotou o ginásio do Mineirinho em Belo Horizonte, cantou e apoiou os finalistas a todo momento. Mas o mais importante foi dentro do octógono, apesar de os combates   terem tido características bem diferentes.                                

Mutante, Jason,Serginho e Pepey

De um lado, a decisão dos médios foi um show para os fãs de MMA, com os finalistas procurando o título de toda maneira. Já os penas fizeram uma final mais morna, menos pegada, muito estudada.
Os médios Cezar Mutante e Serginho Moraes apresentaram uma verdadeiro espetáculo de MMA. Todo mundo esperava um passeio de Mutante, mas não foi o que aconteceu. O clone de Vitor Belfort até começou muito melhor no primeiro e em parte do segundo round, mas quando todos imaginavam que não era mais possível, Serginho reagiu.
Moraes acertou uma sequência inacreditável de golpes no segundo round que por muito pouco não nocateou seu rival. Então começou porrada para os dois lados, com destaque para dois chutes giratórios – rabo de arraia – que Mutante acertou em cheio.
O terceiro round foi mais morno, com os dois pouco se aproximando. Mas um direto de Mutante que derrubou Sérgio confirmou sua vitória e o título dos médios do TUF Brasil.
Os penas Rony Jason e Godofredo Pepey protagonizaram um pequeno anticlimax para uma final de TUF. Os dois estavam nitidamente com medo de perder. Eles se estudaram muito, foram pouco efetivos na maior parte do combate. Valeu a velha frase do futebol: o medo de perder tirou a vontade de ganhar.
O brilho foi menor, mas ainda sim foi uma final de TUF, a primeira no Brasil. A torcida estava completamente a favor de Jason e o empurrou a todo momento – tirando as horas em que estava vaiando pela luta chata.
E o lutador do time de Rodrigo Minotauro usou esse apoio a seu favor. Partiu para cima, deu os melhores golpes e acertou bons diretos e cruzados – Pepey só não caiu porque tem um queixo duro. O único grande momento de Godofredo foi uma tentativa de kimura que não deu certo, além de uma e outra queda, mas por baixo na guarda.
No final, essa diferença de Jason lhe garantiu a conquista do título peso pena do TUF Brasil
Com a cooperação dos  textos de Jorge Corrêa, do Uol Esporte
Postar no Google Plus

About Sergio Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.