O DIÁRIO DE UMA CANDIDATA POBRE

Página III

No dia do registro de candidatura, o candidato pobre lascado irá se sentir uma pessoa imensamente feliz. São tantos documentos  emitidos pela justiça até que todos provem que o candidato lascado também  pode concorrer  às eleições ..O ufa do candidato é de alegria e certo grau de gente que se sente verdadeiramente importante. Este sentimento de felicidade  eu recomendo a todas as pessoas. Experimente continuar limpo, para que um dia possa ser candidato. Como é bom ser pobre, mas ser limpinho...Não vale um chambinho, isto vale mais que um fusca! O cara fica se achando muito mais forte que o engravatado que foi barrado! Fica com o peito cheio de felicidade. O meu registro de candidatura me deu este orgulho. Ele entrou no sistema que entrou tranquilo.
Uma outra coisa a ser observada é a foto da urna. Uma vez que ela se apresentará em preto e branco, o melhor é que o candidato use roupa preta, para que a foto fique bem nítida. Esta observação foi feita pelo coordenador da nossa coligação. Realmente foi um bom conselho: as fotos dos candidatos da Coligação Sertãozinho para todos ficaram ótimas.
O número do candidato? Ah! Dizem os papéis da legalidade que devem ser escolhidos na convenção, com sorteio e os cambaus! Só se for assim em outro lugar,porque não assisti a tal organização "medieval", embora  isto seja lavrado em ata, para garantir que a escolha foi obediente. O meu 55.555 foi escolhido debaixo do maior bate boca com outro candidato que, além da super proteção familiar ainda queria esse monte de cinquinhos facinhos de levarem dedadas... Adivinha o que eu descobri, gente? Número fácil de levar dedadas não dá votos a ninguém. O que dá  votos mesmo é dinheiro, mentiras, promessas mirabolantes, roupa de palhaço, caldeirão de sopa, ter pai ou mãe no poder ou ser parente de candidato a prefeito. Eu não tinha nada disso, não adiantou porra nenhuma eu bater boca pelo 55.555.
O próprio candidato é quem escolhe o nome que ele quer que seja lido  pelo eleitor quando este apertar os dígitos da  urna eletrônica, por isto, os que são conhecidos por seus apelidos não precisam ficar preocupados. Poderão sim escolher que a urna apresente os seus apelidos, por mais bizarros que estes sejam.
Bem, tem uma parte lá na ficha de registro onde deve ser indicado o que você possui,  e outro local onde se apresenta o limite de gastos para cada candidato. Eu apresentei o meu único bem, a danada da motoneta web, e apresentei o valor dela R$ 2.500,00. Mas o limite que a coligação escolheu para os meus gastos  fez com que eu me sentisse uma quase classe média: R$40.000,00 . Até parece que eu tinha R$ 40.000,00 para gastar. Acho que isto é um truque das coligações Eu disse EU ACHO, não disse EU TENHO CERTEZA. Tipo assim: Se a coligação  gastar muito com a majoritária sai espalhando os gastos dentro dos gastos dos candidatos a vereadores...Em município pequeno, o vereador não é obrigado a abrir a sua conta de campanha. A conta do partido vai apresentar os gastos de todos os candidatos. Logo, eu não teria nem como receber doações de terceiros, só  parte de doações que o partido recebesse e bem entendesse como e se queria me ajudar com alguma,pois, a conta foi a aberta para o partido.  Eu ganhei  uma sessão de fotos feitas no estúdio, um banner bem bonito, 4 mil fotos pequenininhas, 100 adesivos e três parcelas mensais  de R$ 1.000,00. Caso coloquem mais que isto na conta, terão que ajeitar, porque eu não assino nada do que eu não gastei.
 Este dinheiro foi a mesma coisa de ter manteiga para passar em venta de gato. Qual coisa grande dá para fazer com R$ 1.000,00 por mês?  Porque candidato gasta muito com locomoção, candidato paga cerveja e paga churrasco para os amigos em dia de evento e em qualquer dia que os amigos levantam da mesa e dizem : Fulano é quem vai pagar. Candidato manda imprimir panfletos , candidato gasta pra cacete com celular e telefone residencial, candidato compra uma blusa legal da cor do seu partido, candidato manda fazer música... Faz DVD, ajuda outro colega a colocar gasolina no carro, fica doidinho de tanto que precisa de dinheiro para pagar ao mototáxi...É nadinha esse negócio de R$ 1.000,00 por mês. Mas até que serviram muito, e agradeço a quem me ajudou. Rapidinho a graninha pouca some do bolso. Num lugar onde algumas pessoas gastam cabeças de gado , vendem casas e carros e fazem empréstimos altíssimos para se elegerem, não seriam R$ 3.000, 00 que fariam uma aprendiz de candidata se tornar  vereadora...
Este limite para os meus gastos de campanha não são coerentes com o que eu aprendi no evento ELEJA-SE. Lá aprendi que quando não somos contribuintes do imposto de renda, devido a nossa renda anual não ter chegado a pouco mais de R$ 23.000,00,  os nossos gastos de campanha serão baseados em 10% do limite que serviu para sermos isentos do IR.  Isto significa, de acordo com o palestrante do ELEJA-SE, que o meu limite de gastos seria em torno de R$ 2.300,00...Mas, falei com os feras da coligação e eles não se preocuparam com isto ou estavam doidinhos que nem prestaram atenção no que eu falei..Beleza...Isto deu um moído da peste aqui dentro de casa. Meu filho, que nem aprendiz de candidato é, perguntou ao ver a minha ficha de registro:  Mãe,onde a senhora vai arrumar  R$ 40.000 ? A senhora não tá nem doida de se endividar tanto, porque não vai conseguir pagar estes R$ 40.000,00!

A disputa eleitoral é uma espécie de mundo onde quase nada pode. Depois quase tudo que não pode vai sendo reconsiderado, e às escuras os que fazem qualquer parada para se elegerem aprontam mesmo. É ai que vamos virando mais pecadores do que já somos. Surgem as fofocas, a disputa feia dentro do próprio grupo, o estresse de cada um. As reuniões passam a apresentar um conteúdo com mais desabafos de descontentamentos que apresentações das práticas que devam combater os erros, para se conquistar o objetivo.
As reuniões tinham o dom de me causar agonia. Quantas vezes senti que estava no local errado! Não pelas pessoas que lá estavam, pois, algumas são pessoas que eu gosto e que conheço há muito, mas pelo cansaço que tais reuniões me causavam, em momentos que eu pensavaPorque escolhi viver isto se  vejo tão pouco  sobre o  que penso e tão poucas chances sobre o que desejo realizar? Onde a perseguição e a pirraça por meus direitos me trouxeram... Ô Porra !!!“
Muitas vezes pensava, pensava...Pensava mais " Vou deixar essa coisa de campanha de lado". Depois olhava para Geraldo e o via tão bondoso...Havia em mim aquele sentimento de que ele realmente queria fazer o bem ao povo. Lembrava das pessoas que estavam esperando por uma chance de trabalho ( sentia medo que muitas outras fossem despedidas). Lembrava de  outras pessoas que precisavam muito da ação social. Outras que haviam enfrentado a campanha conosco por puro carinho.Estes pensamentos me mantiveram perto de Geraldo e dos inocentes. Sentia vergonha de abandoná-los. Não via malícia em seus rostos. Sentia que Geraldo seguia o tempo de maneira desatualizada,  mas em paz. Deixando que algumas pessoas fossem como realmente  são. Fosse qual fosse o desabafo dos mais bravos, ele mantinha-se apenas calmo, calado, sem reclamações.

AS CRISES , OU MELHOR DIZENDO, OS CHOQUES DAS IDENTIDADES




O momento em que você mais sofre na política é quando começa a conhecer mais sobre algumas pessoas, e infelizmente passa a desconfiar dos verdadeiros  interesses de cada uma. Chega um período que você não sabe mais se o  que determinados candidatos "defendem" têm algo em torno de 10% de verdade ou é fetiche para se mostrarem perto da bondade e da  honra.  Você escuta tanto alguém falando mal de outro alguém que imagina " Vixe! Este nunca mais será amigo daquele." Depois as horas tratam de se encarregar que estas pessoas se reencontrem, aí você  vê aquela que falou mal da outra tendo o lindo gesto de  anfitrião  super caloroso... E o pior, Cara, abraça o outro na maior falsidade, e na sua frente! Mesmo sabendo que usou os seus ouvidos para descer o aço na pessoa recém-chegada! Daí vem aquela sensação ruim em você . A sensação de " ONDE AMARREI MINHA ÉGUA". Você passa a sentir que há muita conspiração em jogo, e que não é paranóia imaginar que falam mal de você também quando você não está por perto. E você saca que já deve ter levado muita foice pelas costas. Nojento mesmo é quando alguém que tem pouca menção de respeito para com a verdade do  discurso e a da boa fé do seu coração, fala bem assim ó na sua cara: VALE TUDO NA POLÍTICA.
A campanha eleitoral é um estágio social restrito que vai se tornando horrível, em se tratando das buchas que você tem que  engolir, coisas que alguns não querem que você fale perto de outras pessoas. Coisas desagradáveis que devem ser deixadas de lado, porque todo mundo quer ver um sorriso nos seus lábios. Tempo de campanha é tempo de campanha, não é tempo de divã ,nem dos valores pessoais. Tem gente que critica quem gosta da igreja. Tem gente que não gosta da igreja, mas passa a  sentar em um dos bancos da fé, para que todos comentem sobre o seu exemplar comportamento. As relações "grupo-afetivas" são melindrosas para quem não quer atuar com o VALE TUDO. É choque com força, meu chapa, nos peitos dos "diferentes" ou, melhor dizendo, nos peitos dos que não estão preparados para tanta coisa hipócrita!  Algo aqui e algo acolá levará um e outro a rezarem para que o período de campanha passe logo, pois,  cada um que não gosta do que vê e do que escuta, não concorda com isso ou aquilo, sabe onde a garganta está apertando e o quanto é extenso demais 3 meses de campanha em uma cidade tão pequena!
A disputa causa consequências que levam você a ver tudo o que jamais imaginou . Você fica sabendo muito sobre a ganância de algumas pessoas que   antes se diziam  justas e pior, COITADAS, injustiçadas e boazinhas , cheias de intenção para com a "MUDANÇA" e para com a felicidade do povo mais carente. Em seguida, quando a campanha aperta em disputas acirradas, estas pessoas antes moralistas e conscientes apresentam uma febre  gananciosa e egoísta, pedem garantias exageradas. São capazes de pedir preços altíssimos para começar a ter opinião sobre quem será o seu candidato . Senti vergonha de saber que algumas pessoas que exibiam caras de pessoas dignas tinham uma disposição exagerada para tentar subornar vários candidatos. Um campo mercenário e desregrado fica exposto aos nossos pés...Onde pessoas que se apresentam como exemplo moral  como  formadoras de opiniões,  não se acanham de amputar nossas enganadas considerações por elas. Perdem suas  vozes tímidas e passam a ter  gritos vorazes dentro de um arrastão depois que conseguem o que querem nas quebradas das noites!   Anunciam aos quatro cantos que  decidiram APOIAR fulano (a). Apoiar um cacete...Mamaram  cedo e gostaram tanto que querem mamar futuramente, e mamar muito mais!
Vi gente que sequer queria atender os telefonemas do eleitor, gente que atendia ao telefone e mentia sobre o local onde se encontrava. Gente que se escondia do povo e mandava dizer que não estava em casa...Por que faziam isto ? Porque tinham  a colheta dos seus próprios vícios : O POVO PEDE DEMAIS. Ninguém que confia em dinheiro para vencer as eleições quer correr o risco de dizer não ao eleitor, e talvez porque não sabe dizer EU SOU POBRE como você. Candidato lascado tem disso...Esse defeito esquisito: Sabe que é pobre ,mas quer ter a cara de rico...E rico tem só a cara por acaso? Eleitor também é bicho esquisito...Sabe que o candidato é lascado de vida, mas em época de campanha acha que lascado fica rico!
Também me surpreendi com outras pessoas que eu pensava que eram as mais maliciosas. Na verdade algumas delas são bem mais verdadeiras, bem mais cheias de boa vontade que outras que aparentavam ser as mais humanas. Vi que é mesmo verdade a frase  Quem vê cara, não vê coração . Algumas pessoas que aparentam uma presença marcante e vaidosa nas ruas e no palanque, na intimidade são simples e carinhosas. Não têm privacidade em suas casas, não param de servir aos que chegam , estão prontas como  amigas  a qualquer hora do dia, porque não param de cuidar de pessoas. Não dormem cedo, atrapalham o sossego dos filhos, não almoçam na hora do almoço, e são tiradas dos seus sonos quando ainda é madrugada, porque tem gente precisando de médico...E tudo isto acontece em suas vidas porque elas não se escondem de ninguém, abrem suas portas, atendem telefonemas e socorrem outras vidas.
 Vivendo estas fases que me revelaram quem não é o que finge ser, muitas vezes me senti surpresa Fiz pessoas amigas para sempre. E não terei mais como crer nas pessoas que se revelaram contrárias ao que eu entendo como zelos essenciais: bondade, gentileza e fraternidade.
 Tive um pensamento quando a campanha me revelou o teatro de alguns...Pensei: O Poder, para os mais ambiciosos, é apenas o substantivo supremo da ostentação elitista, pois,  estes são iguais ao que está por dentro das próprias vísceras  . Uma palavra que verdadeiramente decifra o mau poder tem mau cheiro. Estes que sempre têm o jeitinho de disfarce puderam me fazer ver que o  r do poder tem movimento... É um r que pode  desmascarar culposos. Um R que pode ser movido para apresentar-se antes do E, movido pela "sabedoria "do VALE TUDO,  o poder egoísta apresenta-se  muito bem : PODRE! 





O PRIMEIRO CHOQUE QUE EU  TIVE FOI QUANDO DESCOBRI QUE TINHA ACABADO DE ENTRAR NO  INFERNO

Em uma reunião que fui participar ouvi um  advogado dizer:
-Aqui não tem nenhum santinho, mas advirto que sejam prudentes, porque a lei eleitoral não alisa ninguém. Tem cabra grande caindo, quanto mais gente pequena se for pega no flagra. Quem for fazer suas estratégias maliciosas, procure que sejam coisas bem feitas.
Olha aí!!! Nenhum santinho. Foi nesta hora que eu pensei: Tomei bem tomado no inferno e foi agora... Esse cara só pode estar falando sobre compra de votos, tráfico de influência e outros perecotecos mais. Tudo que é crime eleitoral e que eu não quero fazer. E se eu fizer, saberei que perdi o cabaço da moral na política, .não  serei mais santinha. Fazer ou não fazer o erro? Ficar na minha ou não...A frase latejava na minha cabeça : " Ninguém aqui  é santinho"?
Descobri duas maneiras que  as pessoas que há muito lidam com a política têm para analisar um aprendiz de candidato: Se o o aprendiz disser que é honesto, tudo bem para a banca analisadora...Ele poderá  ser apenas um  excelente mentiroso a mais.  Se ele agir com todas as atitudes de  honesto, aí lascou:  Ele  prova que é  otário e não serve para a política! Tenho a esperança de ter saído dessa como otária. Sinto-me bem melhor com a minha pele!
Todo político antigo, por honesto que seja, durante a campanha  será sacolejado pela realidade. A realidade dos macetes para  enfrentar os outros políticos antigos. Ele sabe que a ordem da "indecência" mais cedo ou mais  tarde terá de entrar em campo, pois, chega o tempo em que  não se confia que o adversário irá jogar limpo!

Amores e Amoras, agradeço a todos vocês... Desculpem por alguns erros. Não estou fazendo as milimetradas correções.

Breve trarei a Página IV

Edilene Amaral  



Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.