O DIÁRIO DE UMA CANDIDATA POBRE

Olá blogolhentos! Quem falar em porra de TODO MUNDO É 55 pra mim...Eu mando ir tomar no fole, vou logo avisando!
Estou em casa, claro! Nem morta que eu iria para o trabalho hoje. Depois de uma derrota dessa? Nem mortaaaaaa, meu! Tanto que eu pedi para que fizessem uma pesquisa...Essas pestes não fizeram...
 Já estou acostumada com os descontos ...Deixa rolar, né? Lá pra quarta-feira eu piso no chão de Sertãozinho.

Bem, vamos às novas empreeitadas? Aqui segue o começo do livro mais bocudo do mundo. 


Olá amigos e amigas que gostam de ler. Aqui estou para desdobrar os vincos dos bastidores de uma campanha política que eu vivi como candidata a vereadora pelo PSD, no município de Sertãozinho, estado da Paraíba.
Hoje é dia  07 de outubro de 2012. Não faz uma hora que eu soube que o meu candidato a prefeito perdeu as eleições e que eu também tomei pau nas urnas... A vida continua. Esta é a frase mais besta que se repete depois de uma derrota. Quem falou esta frase imbecil para consolar alguém? Não estou triste e minha vida nunca parou.
Arráh! Minha vida segue um curso muito gostoso, porque sou do time daqueles que têm consciência sobre quem somos e como queremos continuar a ser na verdadeira luz das nossas atuações. Triste com o resultado das urnas? Não. Verdadeiramente não estou triste. Estou aliviada, pois, durante a campanha eu fiquei sem fazer o que mais amo . E, para quem ainda não me conhece bem, o que eu mais amo fazer é escrever. Só Deus sabe o quanto senti falta do meu blog. O dia que mais senti falta foi na penúltima vez em que estive na câmara municipal de Sertãozinho e  um vereador perguntou ao outro cadê o Fox que o senhor contratou e ninguém o vê em Sertãozinho? E, para enfrentar o perguntador,  o outro também fez uma pergunta danada:   Onde é que o senhor presta serviço uma vez que é servidor da prefeitura e não o vemos trabalhar? Ah! Que matéria boa que eu perdi a chance de postar, tudo isto só  porque estava candidata e impedida pela lei eleitoral de escrever no blog. Ficou só aquela vontade de escrever ...E  as perguntas na  minha cabeça : Onde está o Fox? Caraca, onde é que o outro trabalha mesmo heim?  Sei não, mas tenho quase a certeza que sujo e mal lavado são patentes do mundo público e o povo não sabe onde tem sabão em pó para lavar FOX nem bucha de aço para lustrar vagas não ocupadas por filhos de prefeitos e /ou seus parentes afins!!!  Do FOX eu não sei de nada, de trabalho dos outros muito menos. Perdi a matéria do ano, por causa de política!!!
Já estava com esta ideia de mostrar para vocês O DIÁRIO DE UMA CANDIDATA POBRE, desde que comecei a ver e ouvir a vida como ela é dentro do camarim político.  Os  dedinhos tremiam de sede para iniciar esta modesta obra literária. Pois bem, chegou o grande dia DE VOLTA PARA AS MINHAS LETRAS.
Este livro tem por finalidade desabafar legal, e também mostrar tanto para o eleitor quanto para as pessoas que pretendem se candidatar que na política não existe grau de amizade confiável. Ser uma candidata pobre , contando apenas  com a coragem e a verdade e com a possibilidade de ser votada por muitas pessoas que fazem parte do meu grupo de  amigos foi  a maior leseira que  passou pela minha cabeça, bicho. Na verdade, quando você não tem grana para disputar as eleições, você descobre que no nordeste é "FROID", pois,  alguns amigos sentem prazer em propagar que Lampião é mais potente que Frei Damião. Os que são escravos do poder automaticamente disseminam que a força é mais poderosa que a fé e a honra. Estes propagadores passam a ver em  você um atrevido social que tenta enfrentar o senhor de escravos, e pasme: Passam a achar você um saco, principalmente quando você pede o desgraçado do voto. E achar voto, em terra onde Lampião é o deus, sem espichar grana, sem se tornar corrupta, é muito mais difícil que achar um cu novo. Quem aqui está achando a palavra cu feia fique sabendo que vem de cubo, porque o 3, quando deitado tem o formato de uma bunda. Cu é chique, você que demorou a descobrir isto, mas a sorte bateu à sua porta hoje: Você acaba de ser contemplado com um cu novo!
Desbocada?! Eu? Ué, só porque concorri às eleições não posso agora ser dedicada a um público liberal que prefere muito mais as “surfistinhas” que a um monte de políticos mentirosos? Não “tou paganu”, mas tou “escrevendu”.
 Bem, como ia falando para você... Amizade, amizade mesmo, não pode ir para o ápice da sua conta eleitoral. Primeiro porque os seus amigos podem até ir com a sua cara para a tal cervejinha e para aquela rodinha onde você é o máximo quando conta piadas. Eles amam o seu jeitão  de gente que conserta coração triste. Alguns adoram aquela mãozinha otária que você tem para servir bem na hora que eles chamam por você, mas não imaginam você como um político, porra! Dá pra entender isto? Ou fica fácil de lembrar que você é bem menos famoso que o palhaço que foi para Brasilia? Alguns dos seus amigos podem ser do tipo que admiram a sua sorte e, se a sua sorte chegar mais uma vez,  eles estarão super felizes ao seu lado,  mas caso eles tenham que investir no  prazer de fazer  o seu destino feliz... Aí, meu chapa, a coisa fica mais cara, mais demorada e com uma frase do tipo:  -Estou analisando os candidatos. Pense numa análise filha da puta de demorada e que não vai ser nada favorável para ser transformada em  voto para você.  Este tipo de amigo que mói, mói e mói muito está se divertindo demais com a sua cara de doidinho pelo voto. Achando você um interesseiro sem moral, e achando que você quer se tornar mais um ladrão no poder. Aham! Esta foi a coisa que mais me magoou durante a campanha...Um dia enquanto eu entregava os  convites para a convenção, uma pessoa que conheço há anos , a quem sempre tratei super bem e respeitei,  disse isto para mim: Você quer ir pra lá só para roubar também. Poxa, se tivesse sido uma fala brincalhona eu teria até ficado um pouco sem jeito,mas não teria ficado tão triste.  Mas ele falou isto com tom grosso, em uma barbearia, onde tinham pessoas que me conhecem e que ficaram me olhando...Não sabiam se era isto mesmo o que eu queria ser, ou se eu falava com inocência e boa vontade. É humilhante ser candidato. Lembre-se sempre disso: Alguém, seja lá quem for, vai  falar coisas  para você que ferem demais. Eu sei que nunca serei ladra, porque não admiro o erro, o roubo, o mal...Mas nunca serei  porque tenho o grande motivo e um  compromisso inviolável  de servir de bom exemplo para os meu filhos. Desejo que Deus perdoe o homem que falou assim comigo, sempre o tratarei com respeito, mas nunca mais olharei para ele com a esperança de estar vendo uma pessoa que sabe separar o joio do trigo, porque a democracia lhe dá o direito de ter opinião política, mas a educação lhe pediu há muito o jeito de saber tratar pessoas que não têm honra maculada.A quem ataquei nesta campanha, o fiz muito consciente do que estava falando, pautada na realidade administrativa. Tenho provas em mãos de quem roubou e a quem roubou, mas por serem motivos da vida pessoal  e eu não os utilizei em palanque, não os utilizei em nenhuma casa. Os assuntos pessoais são fortes e para mim serviram como sinalizadores do caráter de determinadas pessoas,  mas não eram voltados para a desvalorização do direito de ser votada que esta pessoa tem.

 Voltando ao tal  eleitor dominante que transformará você em um submisso que quanto mais se rebaixa, mais levará chicotada de desaforo no meio do ouvido... Encontrou gente assim? Vá procurar outro voto, porque o eleitor dominante não vota em você. A lógica parte do princípio que, se ele  conhece você pra cacete, sabe sim se você quer ser um político honesto ou se você é um sacana, então se você é honesto quando o dominante passa a  tratar você como um completo desconhecido, fazendo até aquela cara nojenta e enjoada de descrente das coisas que você fala com muita seriedade é porque o cara está se divertindo muito com o seu pedido de voto, meu irmão! Achando você um pedinte de esmola. Este voto não sai para você nem que a vaca comece a produzir leite achocolatado. Continue a amizade, afinal seu amigo tem o direito de escolher qualquer candidato, mas siga o seu caminho sem contar com este voto miserável, não seja um candidato  masoquista, não aprenda a calar verdades só por causa de votos, não esmoreça a sua personalidade!
Se você entrar para o mundo da política vá logo decifrando dois substantivos, fique sabendo que amigos e colegas são classes estupidamente diferentes. Depois que estiver plenamente consciente sobre isto, passe cera nas canelas e corra muito atrás dos admiradores anônimos, recarregue a bateria da Viação 11 (suas duas canelinhas é o que eu chamo de Viação 11...Se você é pobre  não tem nem fusca né? Aí é que está lascado mesmo, principalmente se tiver que visitar a zona rural a pé como eu fiz e arranjei um monte de espinhos enfiados no meu dedão) e visite sempre que puder  os seus novos  admiradores. Eles começam a surgir durante a  caminhada da campanha eleitoral, e pode acreditar que eles são muito fiéis, amigos e, sobretudo, torcem por você com muito carinho , mesmo que não sejam seus eleitores por um ou mais motivos eles têm o dom da energia positiva e do respeito.
Lembre sempre ,e repetidas vezes por dia ,da realidade que todo político antigo e muito mala  diz: A política é um jogo. Os que mais se aglomeram nos grupos dos relacionamentos políticos, principalmente  durante a campanha eleitoral, não são pessoas com interesses completamente éticos, na verdade são pessoas com situações parecidas, pessoas que se reúnem com ideias quase iguais e, aí é que a lenha lasca no meio do lombo dos bobos como eu,   aí é justamente onde os "amigos"  se separam cada vez que analisam a quem podem usar mais no palanque, na campanha e também dentro do miolo do bolso. Amigos de um lado, amigos no meio, amigos do outro lado, o que acontece é que em poucos dias, logo após o início da campanha , formam-se os subgrupos das pessoalidades. As somas de alguns são capazes de amontoar ambições desmedidas. Alguns optam por práticas esquisitas e abomináveis, totalmente diferentes da ética que pregam e nada a ver com o desejo de que o bem seja uma moeda dividida para todos, muito menos para a sociedade. E você,caro candidato pobre e marinheiro de primeira viagem,  se não estiver preparado para se permitir tocado pela lama e pelos roteiros absurdos, como eu não estava e creio nunca estarei, fica engasgado porque não pode desabafar para os eleitores tudo o que está descobrindo de feio, pois, seria desgraçadamente acusado de Judas, o traidor de um monte de Jesus falsificado que finge querer o bem da massa. Vai abrir a boca? Então você vai ganhar a medalha de  destruidor de um grupo inteiro.
 Alguns sacanas aplicam os planos mais baixos que você possa imaginar. Para você ter uma ideia eu passei por casas onde anunciaram que uma amiga não era mais candidata.Graças a Deus tenho de pé a minha bandeira de fidelidade aos amigos e disse que ela era sim candidata, que não havia desistido da campanha. Tem gente que é capaz de cada coisa quando envolvida numa disputa eleitoral que deixa qualquer um de queixo caído. Acho que até Satanás fica puto da vida, fica super desconfiado. Ele deve pensar “este palhaço está querendo tomar meu lugar... Vai enganar bem assim no inferno!”. E o pior de tudo? O palhaço pode ser um desses que você encontra dentro da igreja em época de eleição!
Por votos, caro leitor(a), os preconceitos são escondidos, tamponados com um curativo interesseiro. A religiosidade é usada como se fosse uma coisa banal.E eu estou aqui cheia de palavrões, mas sei que Deus existe e que não sei por qual motivo Ele ainda me ama tanto, uma vez que sou cheia de defeitos e tão ruim de perdoar gente fuleira!
 A hipocrisia é uma constante na vida da política, mas infelizmente ainda tem sido a solução  para que o pluripartidarismo alcance colocações em todos os poderes, tanto no executivo quanto no legislativo. Ela continuará  sendo utilizada. Enquanto a sociedade se mostrar frágil e indecisa, a hipocrisia será utilizada, e o viadinho do Aristóteles nunca será capaz de tirar pessoas bondosas e capacitadas da escravidão para colocá-las  nos lugares onde o bem comum deve ser praticado, se essas pessoas não assumirem que  tanto quanto a Filosofia possa repetir, é verdade que na política a verdade não  tem força absoluta , muito menos tem o poder de ser transformada em dádiva para parte de uma sociedade que se dobra como uma escrava, enquanto  se gaba de ter  veia democrática e obedece aos fumegantes  Lampiões.
Vamos lá? Vamos ver se eu consigo parar de ser chata e consigo expor para vocês o que eu vivi e o pouco que aprendi sobre o mar de lama?
Sejam bem vindos ao DIÁRIO DE UMA CANDIDATA POBRE

  




Capítulo I

Vou iniciar este diário de trás pra frente, começando a dizer a vocês algo sobre o presente momento. Vocês acreditam que um “amigo” meu, candidato a vereador em Belém/PB, tendo sido derrotados ele e sua candidata a prefeita, depois de ele ter passado toda a campanha sem me dar a mínima, mal saiu o resultado das eleições e ele já começou a telefonar para mim? Acho que querendo saber se deu certo para mim e para o meu candidato a prefeito lá pras bandas de Sertãozinho/PB. Estamos todos tomados no lombo, e o cara já dando uma pesquisada básica e nada espiritualizada, será que ele está tentando ver se tem outro lugar pra ele amarrar a égua dele? Arrancaram o pau onde eu amarrava o meu jegue, eu sei lá onde caramba tem lugar pra amarrar a égua de alguém?... Ah! Meus amigos, além disso, eu lá estou aqui pra servir de base para o nepotismo? Foi eu dizer que também perdemos as eleições em Sertãozinho, sabendo desta novidade nada feliz, o cara bateu ligeiro o fim do diálogo com “tchau, depois eu vou ai...” E eu pensei: Venha fresco, venha... Vai dar certinho pro seu rabo.
Iniciando a coisa com o que já rolou na minha vida até que eu chegasse aos camarins da política devo inicialmente pular a fase em que eu era uma adolescente, e dizer que tudo complicou mesmo quando cheguei ao tempo maduro, onde estava bem quieta no meu canto até que li o filho da puta do Aristóteles. Pausa neste assunto. Preciso fazer  um favor a todos os tipos de  mulheres anônimas e claro, aos vários tipos de mulheres daquele negro que a escola de Samba dele é a... Sei o nome do dito cujo e o da escola de samba dele, mas se não tenho onde cair morta é claro que não vou cair na besteira de botar o nome dele aqui para não ter que pagar os direitos autorais, né?  Nem de passar a sacola pedindo moedas eu gosto!!!
Senhoras, senhoritas, damas de honra, donzelas, desonradas, santinhas, pimentinhas, direitinhas ou cabritas, prestem atenção nisto:
Se um cara inteligente e bem humorado, musculoso, bonitão, cheiroso, com voz forte e barbinha crescendo, cheio de coxas grossas dentro do jeans desbotado não desgraçar as suas vidinhas, caras mulheres, acredito que vocês estão super prendadas dentro do lar ou transformando  aqueles  homens metidos a gostosos em tremendos babacas. Caso vocês tenham se decidido por uma vida dedicada aos estudos para , consequentemente, alcançarem o sucesso profissional, permitam-me considerá-las as dedicadas ao mundo feminino pessoal e, por favor, aceitem os meus parabéns ,porém,  ao mesmo tempo observem a minha preocupação... Ah! Caramba... Tomara que vocês estejam com mais horas de olhos nos livros de matemática, porque se vocês são mais dedicadas às artes humanas e derem bola demais ao que as muitas letras podem falar, desejo que ainda não tenham topado com um filósofo...Não façam arapucas para vocês .
Não estou falando de filósofo de segunda, meninas. Filósofo mesmo e, de peso, é um cara morto há anos que ainda tem aquele poder do cacete de virar a cabeça de vocês que amam a humanidade, entendem? Este tipo é muito mais perigoso que o gostosão do jeans desbotado. Porque o gostosão do Jeans desbotado é aquele cara em que mil em cada mil mulheres querem, cada uma, só para si, para mudar as sua vida de dias de mãos dadas para noites muito mais deliciosas que aquelas em que elas conheciam apenas um Romeu. Ele, o demônio do jeans, só tem o poder de  arrumar 999  concorrentes que pensam a mesma coisa sobre como viver ao lado dele e, no máximo o único mal que ele vai fazer é  colocar uns chifrinhos básicos em cada uma que com ele se envolver. Chifres: Par de  coisa que será completamente apagada assim que surgir o próximo gostosão que talvez use óculos, rinite e passei  dentro de uma roupa brega classic. Perigoso mesmo, minhas queridas, é o filósofo. Este  entrando em uma vida, deixa aquele sabor de mudança melhor para um montão de gente que nem está aí para coisa alguma, gente que nem saca que sanduíche de mortadela não é a mesma coisa que prato fundo, é diferente de um prato cheinho de proteínas. Ele, o tal do filósofo, vai lascar bem lascadinhas essas suas caras de lesmas compadecidas e danadinhas intelectuais. Vai botar uma coisa muito pior que chifres nas suas cabeças. Vai botar minhocas que fervem por uma sociedade nova,  e vocês irão se preparar para jogar merda nos seus próprios ventiladores. Querem experimentar a vida militante? Leiam o que Aristóteles escreveu sobre a escravidão e recebam bons ventos fedorentos assim que entrarem para o meio político... Este fresco velho, o tal Aristóteles, foi quem armou a baderna na minha cabeça, mesmo depois de ter botado o rabinho debaixo da terra, ele ainda consegue fazer um monte de nós acreditarmos que a política é o lugar onde estão as pessoas que reagem à escravidão. Na verdade, aqui no Brasil a política é o lugar onde mais tem gente que engana os “escravos”.
Não bote Aristóteles no seu criado mudo, pois, não demora ele aí  no pé do seu juízo, e você vai procurar um sindicato, botar um broche da central no peito, e começar a falar sobre a porra dos seus direitos e dos direitos da sua classe. Que classe? Será que eu estou falando grego? Esta classe formada por uma maioria de pessoas que vivem a esperar que o papel higiênico caia do céu, enquanto você coloca os peitos à prova das balas de bosta. E o pior é que esta classe vai rir demais de você quando “as balas” acertarem de cheio a cara da planilha das sonhadas conquistas. Resumindo? Filósofo + Sindicato+ política: A receita perfeita para crescer um tremendo bolo no forno de um babaca pobre.   Misture estes três ingredientes e você verá o moído  dos infernos começar a ser feito na sua vida, com o super  poder de  mostrar quais são os farelos que os porcos da política rejeitam comer, mas treinam você para degustar. Nunca mais, depois de você se envolver com filósofo, sindicato e política, o que você conhecia como “Viver do trabalho para casa e com paz no seu sorriso” será apenas um trajeto comum e rotineiro.
O DIÁRIO DE UMA CANDIDATA POBRE adverte: Este livro não é para ricos, muito menos para pobres que  gostam de mentiras e ilusões, tão pouco deverá servir como medida provisória para algumas pessoas que se acham exemplos  . Pessoas que estão odiando o meu linguajar. Eu não escrevo para os falsos santos. Escrevo para os que se assumem pelo menos quando olham para o espelho.
 Primeira lição de casa para POBRE ENXERIDO A POLITIQUEIRO:
Leia sobre direitos, em seguida fique se achando uma pessoa que pode ser protegida pela lei. Encha a boca de artigos que você leu lá na tal Constituição Federal . Agora sinta-se  preparado e arme o circo da batalha. Vá bater de frente com prefeito, governador,deputado , senador os cambaus a quatro. Você acaba de descobrir uma coisa: A sorte parou de bater à sua porta e o seu cu novo vai ficar velho!
Faça mal à sua inocência, enfie a cara nessa coisa chamada DIREITOS TRABALHISTAS. Roube muito da sua paz e descubra que outros pobres iguais a você estão adorando as vantagens que chegarão para eles, caso você enfrente tudo sozinho. Mas irão adorar saber que você se lascou todinho enquanto eles se deram super bem. Esta é a lei da humanidade desumana, meu amigo: Lampião é deus na terra dos escravos que o adotaram por santo!
Quer ler mais desse livro? Sinceramente... Neste país até o talento de escrever é desvalorizado. Aqui se faz, aqui se paga para se mostrar o feito. Não dá para meter capa neste diário e levá-lo às livrarias.Tenham paciência, vou escrevendo aos poucos, e postarei os capítulos gratuitamente no BLOG OLHO DE MULHER.

 Sinceros agradecimentos aos meus leitores e leitoras,

Edilene Amaral





Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.