CRISNEILDE RODRIGUES QUER DESTRINCHAR A FRAUDE ELEITORAL QUE ACONTECEU EM BELÉM






Como todos belenenses sabem ocorreu na última eleição  um golpe de fraude que visava prejudicar a candidata Crisneilde Rodrigues que concorreu ao cargo de prefeito. Golpe que  possivelmente conseguiu prejudicá-la.  Ela estava substituindo o nome do seu cunhado Tarcisio Marcelo na chapa majoritária, devido Tarcisio não poder manter-se  candidato por motivos da lei  Ficha Limpa.
Diante da situação, Crisneilde seria votada nas urnas sempre que o eleitor apertasse 40 do PSB e  confirmasse com a teclinha verde, mas os gênios da fraude tiveram a bela ideia de confeccionar santinhos com o 14, a foto de Cris e uma mensagem subentendida como sendo de Tarcisio Marcelo, porque sabe-se da excelente condição deste em dialogar com os seus admiradores e eleitores.
A ideia dos gênios era que o 14 não levasse votos para ninguém, mas se transformassem em votos nulos e,claro,  diminuisse os votos de Crisneilde Rodrigues, deixando-a em desvantagem em relação ao único candidato adversário.

Como está a situação?

Atualmente a situação desta fraude vai se complicando para quem a praticou, porque  Crisneilde Rodrigues conseguiu o direito das provas não serem destruidas e também o direito estendido, caso seja esta a decisão dos seus advogados, a requerer parecer de uma perícia técnica:

Origem:
Belém-PB (54ª ZONA ELEITORAL - Belém)
Resumo:
RECURSO ELEITORAL - AÇÃO CAUTELAR - PREPARATÓRIA - PROPAGANDA ELEITORAL - PROCESSO EXTINTO SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO - FOLHETOS / VOLANTES / SANTINHOS / IMPRESSOS - GARANTIA NÃO DESTRUIÇÃO DE PROVAS - PEDIDO DE REFORMA DA DECISÃO

Decisão:
RECURSO PROVIDO A UNANIMIDADE ( na linguagem popular 7 a 0  para a Cris), DETERMINANDO-SE A NULIDADE DA SENTENÇA E DOS ATOS POSTERIORES COM O RETORNO DOS AUTOS À ZONA DE ORIGEM PARA SEU REGULAR PROSSEGUIMENTO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR, EM HARMONIA COM O PARECER MINISTERIAL. FEZ SUSTENTAÇÃO ORAL PELO ADV. JOSÉ EDÍSIO SOUTO E ADV. LAPLACE GUEDES.


 Vai ser possível computar quantos vezes o 14 foi digitado nas urnas? Bem, se a urna tem memória para distinguir os números dos candidatos só não tem para distinguir os números que se transformaram em votos nulos se o fabricante das urnas não previu o que poderia acontecer futuramente em relação às astúcias de quem faz a política da má fé e /ou se o órgão responsável por ter adotado a urna eletrônica também não atentou para o fato de perquirir ao fabricante sobre todas as possibilidades de prejuizos. Assuntos que deveriam ser bem pensados,por que no Brasil existem vários gênios da ilegalidade que são capazes de tudo para burlar os conteúdos da lei e os direitos alheios.
E se por acaso não tiver como achar o 14 nas urnas? Queridos, ainda assim a fraude está caracterizada, daí o motivo pelo qual as provas são tão  importantes.
 Crimes de propaganda eleitoral por divulgação de fatos inverídicos, crime de falsidade ideológica por mensagem que não partiu de Tarcisio Marcelo, crime contra a fé pública por falsificação de documento público para fins eleitorais. Sim!  Os santinhos podem ser classificados como documento público, pois, são documentos  do interesse do eleitor, representam uma organização partidária uma vez que até o interesse do cargo sempre será do partido e não um interesse em particular do candidato e, o mais grave , o documento legitimo tem obrigatoriamente um registro emitido pelo  TSE :  o CNPJ exclusivo para o candidato.
Quem falsificou os santinhos não sabe a besteira em que se enfiou, e pode contar que   a coisa vai arrochando, arrochando até cair no colo de quem inciou a fraude. Para isto bastam dois bons advogados escolhidos entre os onze( Jose Edisio Simoes Souto; Luiz Alberto Moreira Coutinho Neto; Rodrigo Cunha Peres; Eduardo Henrique Farias da Costa; Felipe de Brito Lira Souto; Lucas Lima Muniz de Albuquerque; Rodrigo Menezes Dantas; Fabio Ramos Trindade; Flavio Augusto Pereira; Bruno Barsi de Sousa Lemos; John Johnson Gonçalves Dantas de Abrantes) e provas que se somarão às TESTEMUNHAS que receberam este material . Claro que tais arrochos não deixarão muitas  dúvidas e, de sobra, o princípio do livre convencimento motivado do juiz  vai arrematar aqui ou além qual era a intenção de quem aplicou  a "nova tendência do 14" . Dai que a decisão do judiciário pode determinar a pena para   quem praticou isso,  e não é nada impossível que também a anulação da eleição.
Quem cometeu esta besteira deveria é estar pensando em entregar os nomes de quem projetou a ideia e encomendou o produto que proporcionou a fraude , porque esperar a corda rebentar nas costas solitárias  é negócio para gente  tola. E podem crer, caros insensatos da "gráfica do 14", que em Belém tem gente pra tudo, até para abandonar amiguinhos que topam fazer coisinhas desta natureza. Abandonam sim, e abandonam   nas horas mais dificeis!

Nota.: A imagem é uma das muitas chapinhas falsas que foram distribuídas em Belém-PB no dia 07 de outubro de 2012. Foi doada a este blog por um eleitor do distrito de Rua Nova
Quem quiser ler a mensagem clique sobre a imagem.Uma pessoa muito ruim de português escreveu a falsa mensagem de Tarcisio, porque não sabia sequer a diferença entre MAIS E MAS.

Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

1 comentários:

Faça o seu comentário.