O QUE VALE A PENA VIVER NO SEXO?

                                     
Há pouco tempo eu tive a oportunidade de baixar pelo 4shared o  livro Cinquenta  Tons de Cinza, de E.L. James.Como gostei muito dos primeiros capítulos, por tratar a intimidade sexual do casal como coisa super  natural , sem aqueles textos babaquinhas de sussurros repetidos e que não nos levam a nenhuma surpresa, achei que o livro deveria ser lido por um monte de amigos meus, e saí encaminhando a peste da cópia para todos que eu sei que gostam de ler...Tomara que, se eles leram o livro,  ainda acreditem que eu não tenho mesmo o perfil de escrava do sexo, e não sou fã da porradaria na cama.
Lá adiante, com as doideiras do Senhor Gray- personagem central do livro- eu fui pegando muita raiva de Anastasia: a tonta que se deixa manipular pelo tarado rico, como se não fosse dona do próprio corpo. Aguentei Gray bater nessa tonta, beliscar, colocar gelo nos seios ( isso de gelo até eu e todas as santinhas do pau oco ou do pau cheio aguentam também). Aguentei saber sobre as algemas e os cambaus a quatro, mas parei de ler o livro na parte em que o doido introduziu duas bolas de metal na sua amante escrava. Aquele peso que Anastasia arrastava em sua entranhas, quando caminhava, causou-me indignação.Travei geral a simpatia pelo livro...Não li mais nada, para mim  qualquer final que venha a ser feliz em Cinquenta  Tons de Cinza  está muito sujo por preliminares com maus tratos, portanto,não me interessa mais. Travei  nesta parte das bolas de metal.Pode me chamar de recalcada, mas penso que isso de fazer brincadeirinhas com corpo estranho (cheio de contaminação) não passa de puro vício de fazer maldade...É desumano invadir o corpo de alguém sem que haja a intenção de fazer o bem. Há muita monstruosidade nesse tipo de tara,  e não vejo nada de moderno nisso, nada de cabeça aberta. Na verdade acho  que as pessoas voltam à Idade das Trevas quando perdem o gosto pela liberdade, fecham a cabeça quando se permitem cair aos pés da dominação que maltrata.
Acredito que a situação realmente faz o tesão e  que, cada pessoa do romance a dois, contribui muito a favor do casal, mas não é necessário que alguém sofra torturas, humilhações e agressões.Onde estão as lingeries, o salto alto, o perfume, os cabelos, o batom, o decote, o jeitinho de conversar, a meia luz,os olhos  maquiados, o vinho, a música ? Acaso tais acessórios que contribuem muito para destacar a espécie feminina perante os olhos dos homens perderam a força da sedução?
Queridas, prefiram dançar para os seus homens a dar-lhes o direito de usar  um chicote em vossas  costas! Aceitem o que gostam, provoquem uma situação para algo que realmente  queiram viver. Só não finjam felicidade quando a coisa é ruim,machuca e pode até fazer mal à saúde. Nunca acreditem que é somente  sexo que "segura" o homem. O homem é livre, ele apenas escolhe suportar mais tempo ao lado de uma mulher que nem ele sabe explicar porque gosta mais dela que de todas as outras, pelo fato de só dela ele aturar os defeitos que não atura de mais ninguém.
O homem nasce animal, mas o amor e, somente o amor, tem o poder de fazê-lo carinhoso !

Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.