QUEM VAI INDICAR MAIS NOMES PARA OS CARGOS DO ESTADO EM BELÉM?

 Cheguem aqui ,meus amores e minhas amoras, vamos pensar juntos e misturados para sermos cada vez mais fortes e, a cada dia, menos bobos.
A maior das expectativas do povo de Belém-PB, logo após a reeleição do governador Ricardo Coutinho,  gira em torno dos cargos do governo estadual, distribuídos nas instituições na nossa linda terrinha. Cargos estes distribuídos de forma "desobediente" ao artigo 37 da Constituição Federal, ou seja, sem dar muita bola à  leva dos procedimentos dos concursos públicos. Abram os seus corações , meus amores e minhas amoras, vou doar beleza para vocês.Uma pausa  para o bem da nação leitora do Blog Olho de Mulher: este leva não é do verbo levar. É um substantivo. Significa conjunto, magote...o  popular "ruma". Eu não gosto de ruma. Como sou uma editora sem frescuras,vou dizer a vocês porque não gosto de falar ou escrever ruma. É que acho parecido com a surpresa desagradável que tem alguém quando pisa sem olhar, e diz:-  Afff! Pisei em um ruma de merda.
Ok? Já guardaram o que é leva?  Então,  voltemos ao play do nosso papo inicial: a coisa da distribuição dos cargo do estado, em Belém-PB. Este negócio está meio que  por debaixo dos lençóis. Quem fica ou sai e que vem de lá pra cá é um total mistério, porque as lideranças que apoiaram a reeleição do governador Ricardo Coutinho nem se uniram nem se misturaram. E agora? Como será que o governador vai agir? A quem vai ouvir mais? Na balança dele quem tem mais "pólvora"?  Seria quem mais se desvinculou do poder do irmão  nas urnas ?(Tarcísio Marcelo). Seria  quem foi  leal à sua reeleição desde o começo? ( Edgard Gama)  Ou seria quem mais transpôs votos de última hora, no segundo turno, ( Roberto Flavio)?
Vejamos por dentro do viés da realidade.Nenhuma liderança local apoiou a reeleição do governador Ricardo Coutinho sem se comunicar com alguém de muito poder no núcleo do estado, e eu espero sinceramente que tenham se comunicado com o próprio governador, porque as promessa de alguns assessores e alguns deputados são tão frágeis quanto uma taça de cristal .  Nenhuma liderança apoiou oi governador sem assumir o que queria em troca, e eu espero sinceramente que esta troca não tenha sido única e exclusivamente financeira, ou seja, que não tenha sido "cerimonial", do tipo que depois do bolinho gordo começou a dizer que Ricardo é o melhor para a Paraíba. Porque se foi assim, meus amores e minhas amoras, podem ter certeza que o governador não esquecerá jamais o que gastou pra começar a ser o melhor. Pagou , levou e puta que partiu pra todo mundo que não está na lista das pendências dele.
Nenhuma liderança apoiou sem prever resultados, e tomara que tenham chegado perto da quantidade de votos que " garantiram" ao governador. Nenhuma liderança deixou de propor algo aos seus cabos eleitorais mais íntimos e, por isto mesmo, também mais garantidos de ,no mais tardar, .em abril estarem empregados ou pelo menos desovando um  avestruz  debaixo das asas de alguém.
O que devemos observar, meus amores e minhas amoras, é quem vai pousar a mão no cetro do HDB.Quem vai delegar quem são os gestores mirins na nossa terra...E quem vai encarar ou se esquivar de um possível desgaste quando não conseguir encaixar os seus ou protegê-los do desemprego...?
Querem que eu baixe o santo e diga o que vai acontecer? Quando um não conseguir algo para o povo de Belém (especialmente para os seus eleitores)  vai apontar o dedo pra dois. Se botar a culpa em um já é bom pra fugir das pedras...Botar em dois vai ser a mesma coisa de vestir a ARMADURA do Rei Saul: Davi, o pequenino,  que encare Golias.
Ricardo Coutinho tem tudo para agir com a maior cara de zen, fazendo tudo no banho maria: isso aqui é pra você, isso aqui é para os outros...Mas, e se ele deixar a "glória" subir pra cabeça? Com o pensamento vaidoso:  ninguém abateu Cássio nas urnas, só "Ricardo" conseguiu isto. Aí, meus tantos leitores e tantas leitoras, vocês irão assistir Nero tocando fogo em Roma e aguando o fogaréu com cuspe de chimarrão, muito tranquilo "tchê", bem à la  Getúlio Vargas, trabalhadores e trabalhadoras.A próxima vitória de Ricardo Coutinho é muito certa, muito frouxa...São duas vagas para o Senado, e uma delas  já o faz gozar o sabor do mel na boca...Metade do estado estando de bem com ele, Brasília é o caminho...O resto que fique pra trás...Este Senhor vai longe, o seu caminho foi o Estado quem traçou.
 E os cargos de Belém? Belém, depois das eleições é Terra de ninguém. Só manda quem pode e obedece quem não tem! Vamos torcer para PELO MENOS Ricardo Marcelo conseguir uma colocação muito bem acentuada na Assembleia. É importante que Belém não fique sem IDENTIDADE. É importante que o quadrado se feche: três lideranças aqui podem não conseguir muita coisa, muita atenção do governador. Uma liderança VERDADEIRAMENTE assentada no Estado, o  deputado Ricardo Marcelo, deve e tem a obrigação de lutar por Belém. A torcida deve ser de todos nós. Não votei nele, não comi dinheiro dele, não pedi nada a ele, não fui nem muito perto dele, mas de uma coisa eu tenho noção: se Ricardo não segurar um pedaço das rédeas, Belém pode se dar mal e muito mal. Tomara ele consiga, e tomara ele se lembre de cuidar desse povo todos os dias, porque se ele só voltar aqui em dia de festa e em dia de eleições...Aí amarrem as chuteiras, meu povo, tá todo mundo no mesmo barquinho: FERRADO E MAL AMADO.
Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.