A MOÇA QUE PRECISA DE TUDO

                                                Minhas lembranças serão tudo o que eu disse quando foi necessário alguém sair do silêncio!
        
  Meus Amores e Minhas Amoras, preparem vossos olhos, porque quando desço no blog não venho à toa. Hoje, tenho absoluta certeza, vim para fazer muita gente chorar! Que chorem de amor, de bondade, de compaixão, pelos choques das emoções e pelos declives que a resiliência causa em vossas almas. Chorem por naturalidade, por humanidade...
         Com vocês, uma história real: 

                                              A MOÇA QUE PRECISA DE AMOR

Ela é loira, tem lindos cabelos sedosos, um par de sobrancelhas arqueadas, bem desenhadas, mas que atualmente servem pouco contraste de beleza  aos seus olhos perdidos. Suas pernas são longas e, em meio às mulheres baixinhas, a destacam: ela parece uma atleta. Qualquer pessoa que a vê pela primeira vez pode, perfeitamente, imaginar que trata-se de uma jogadora de vôlei.
Ela não tem mãe, não tem pai. E tinha, como qualquer mulher, o sonho de ter a sua família, a sua casa, onde pudesse exercer os dois papéis mais santificados para uma mulher: ser esposa e mãe.
Veio o homem, a casa, e a criança...e parece que tudo ia dar certo. Hoje, ela não está na sua casa, seu homem não está ao seu lado, sua criança não mama em seu peito e não dorme em seu colo. Ela não está bem de saúde.
A cirurgia do parto  tirou tudo que era normal, sonhado, desejado da vida de Amires Duarte...e eu amaria ficar frente a frente com o médico que fez tal cirurgia, para ,com muito respeito, sem pressão, sem ignorância, sem chantagens, sem acusações de negligência ou qualquer outro tipo de acusações, perguntar:- Como o senhor vai ajudar a reconstruir a vida dessa moça, doutor? "Erros" não propositais podem ser amenizados com amor, com boa vontade.
Eu não tenho nada a ver com isso? Como que não tenho nada a ver com isso se em toda fuzaca que rola com o povo de Belém eu meto a peste da minha colher? Você tem tudo a ver com isto também, meu amor. Você também tem tudo a ver com isto, minha amora...como eu, que estou entalada, não tenho?
Vocês imaginam o que é uma mulher perder tudo, sua vida toda se modificar, e isto se esticar por quatro meses? Vocês imaginam o que é uma pessoa passar por tudo isso e não ter um colo de mãe, um braço forte de pai, o abraço caloroso do esposo?  Vocês imaginam o que é a pessoa sair de casa para ganhar bebê e uma semana depois do parto voltar para o hospital com um ferimento que até hoje não cicatrizou? Vocês imaginam o que é tanta dor, tanto desgosto, tantas mudanças tirarem a alegria, a esperança, a fé de alguém? Vocês imaginam o que é uma filha crescendo e  ter pouquíssimo contato com a mãe ,  não ter contato suficiente para chorar por seu colo?  Contato suficiente para reconhecer a voz da mãe e adormecer com os seus carinhos? A criança está em Belém e a mãe em João Pessoa. A familia que cuida da criança, desde a necessidade de Amires ficar internada quando a cirurgia complicou, cuida da criança muito bem, mas não dispõe de espaço para ficar com a mãe...os parentes onde Amires está, segundo informações doadas por uma pessoa da família que está com a criança, não podem cuidar da criança, porque trabalham...e Amires nada de ficar boa, nada de se recuperar!
Mas o que foi que me entalou?...
O que me entalou, da goela até o cóccix, passou de virilha a dentro, dobrou meus ossos com muita chateação, foi que estou clamando por esta moça há dias. E segundo eu soube, a noticia que deram à secretária da Doutora Renata foi que Amires está bem. BEM NÃO!!! Ela está viva. É diferente!
Domingo estive com Amires. Vi seus olhos perdidos. Vi sua pele pálida. Vi seu ferimento. Não sou nenhuma doida, eu sei o que é doença. Vejo semblantes doentes todos os dias.Não estou dramatizando, estou CLAMANDO. Não estou dando plus nenhum aqui,estou timbrando uma história real . Esta moça precisa de AVALIAÇÃO MÉDICA. Precisa muito ser tratada. Precisa de acompanhamento, precisa restaurar a sua vida. Que perca qualquer amor passageiro, mas que não perca o prazer de viver com o amor da sua filha. É dela. Foi ela quem a pariu! É dela! Ela pode tocar, beijar, abraçar, amar pra sempre!

Não. Não estou com medo de magoar ninguém que se ache mais importante que Amires na vida da criança. As pessoas têm muitas coisas, muitos afetos, muitas companhias, muitas conquistas, muitas lembranças boas...mas o que é que Amires tem hoje a não ser o carinho de um irmão e de uma cunhada que graças a Deus estão com ela?
Eu queria tanto que ela fosse vista pela equipe do PSF de Belém. Queria tanto que ela ficasse domingo(15/01/17), para que na segunda-feira ( 16) ela fosse vista pela equipe do PSF de Belém...mas o que eu ouvi de uma pessoa da família que cuida da criança foi:- Não dá certo Amires perto da criança. Ela mexe muito com a criança. Ela quer pegar a criança no colo, ela quer acordar a criança...ela perturba a criança...a criança chora porque não quer o colo dela.
Então, eu disse:- Mas ela é a mãe...um dia a criança voltará aos braços dela. É preciso ir acostumando a filha a gostar de estar com a mãe.
E o que ouvi:- Não é bem assim. Estamos documentados...muita gente nos disse que não é ela querer  a menina de volta e nós devolvermos a criança de imediato.
Resumo da história?
Eu não sou Cristina Rocha, mas este é um CASO DE FAMÍLIA que merece muita atenção do Conselho Tutelar, da Secretaria da Ação Social, da Secretaria da Saúde, da sociedade belenense, da prefeita Renata Chris.
Doutora Renata, esta é a verdade NUA, CRUA, DO JEITO QUE EU TENHO CERTEZA a senhora sabe que não inventei, não aumentei, porque encaminhei um vídeo e uma foto para a senhora, mostrando Amires em tempo real, no último domingo( 15/01). Em nada me interesso me promover com isto. Corro sim risco de ser mal interpretada, arrumar desafetos, processo, os cambaus a quatro, mas durmo com a consciência tranquila: FIZ O MEU PAPEL de deixar aqui registrado o que Amires vive hoje, para que no dia que ela ou qualquer pessoa bondosa se interessar, imprima, dê fé e faça bom uso das minhas letras, a favor de uma união sagrada entre MÃE E FILHA.
É claro que Amires ainda precisa ser tratada para poder cuidar da sua filhinha. É claro que Amires deve ser eternamente grata às pessoas que cuidaram da sua filha...e é claro que o amor dessa família por esta criança é verdadeiro, mas não pode virar um grande ciúme, nem medo de perder a criança, nem ilusão de posse exclusiva. Dá pra menininha ter duas mães e dois pais pra sempre, porque amor não vem do ventre nem do sangue, vem do coração...o que não dá é Amires sem tratamento, sem filha, sem recuperação.
Eu sou Edilene Amaral, editora de um blog feito para o povo, O Blog Olho de Mulher. Eu ROGO  URGÊNCIA E RELEVÂNCIA para o tratamento de Amires. Ela merece. Ela precisa!
:




Postar no Google Plus

About Edilene Amaral

Edilene Ziza do Amaral,carioca doada para o estado da paraíba,filha de Dona Maria Ziza e Sr. José Amaral, mãe dos príncipes Sergio e Levi.Servidora pública do municipio de Sertãozinho-PB,Técnica de Enfermagem da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, leitora sempre curiosa, automaticamente uma escritora viciada.Sindicalista, filiada ao PMDB, eleitora enjoada e exigente, sem preferência e sem doença por candidatos malas. Não comprada por corruptos Quando escrevo poesias costumo assinar como como Domitila Belém.

0 comentários:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.